Últimas do Mix

Bolsonaro diz que será reeleito no 1º turno: “Se for vontade de Deus”

 

Fábio Vieira/Metrópoles

Durante agenda de campanha em Natal, no Rio Grande do Norte, na noite desta quarta-feira (14/9), o presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que, a depender da vontade divina, ele será reeleito para um novo mandato ainda no primeiro turno das eleições, marcado para o dia 2 de outubro.

“Eu quero agradecer a Deus por esse momento, pela missão que ele me deu para comandar essa nação. E se essa for a vontade dele, serei reeleito agora em primeiro turno, para que possamos continuar, cada vez mais, a fazer o Brasil melhor para todos nós”, afirmou durante encontro com apoiadores.

A fala do candidato diverge das mais recentes pesquisas eleitorais, que mostram que a disputa pelo Palácio do Planalto deve ser definida no segundo turno. De acordo com levantamento do Instituto Ipec divulgado nesta semana, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 46% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem 31%.

Já a sondagem mais recente do Instituto Datafolha, publicada na semana passada, aponta que o petista manteve os mesmos 44% das intenções de voto em relação ao estudo realizado há duas semana; o atual mandatário, por sua vez, foi de 32% para 34%.

Os próprios integrantes da campanha do atual chefe do Executivo federal admitem que ele está “cristalizado” – ou seja, não varia além da margem de erro das pesquisas. Dizem, porém, que os atos realizados em comemoração ao Bicentenário da Independência, em 7 de Setembro, serviram de “contraprova” para mostrar que Bolsonaro será reeleito no primeiro turno.

“Escolhas erradas”

Na agenda desta quarta, o presidente ainda pediu votos para continuar no comando da Presidência da República, e alertou os presentes para não tomarem “escolhas erradas” na hora de votar. Novamente, Bolsonaro citou a Venezuela e disse que o país é rico em petróleo, mas ficou pobre por escolhas feitas no passado.

“Escolhas erradas feitas lá atrás pelo povo, pelo voto errado, fez com que esse povo hoje fosse mais pobre do que o povo haitiano. […] Temos daqui uns dias, cada um de nós, que tomar uma decisão”, declarou.

“Hoje, cada vez mais, o povo entende de política e começa a sentir a personalidade de cada candidato. Se ele tá falando da boca para fora ou com o coração e a verdade acima de tudo. É difícil convencer com a verdade. Sabemos disso. Mas é o único caminho que temos para nos libertar aqui no Brasil”, prosseguiu.




Metrópoles*

Nenhum comentário