Últimas do Mix

"Sempre te defendi e essa é a recompensa?", diz Luis Miranda a Bolsonaro

Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Em uma série de mensagens no Twitter na madrugada desta sexta-feira (24), o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) questionou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre as declarações do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni.

Após a entrevista de Miranda à CNN, em que ele afirmou ter levado provas a Bolsonaro e ao ex-ministro Eduardo Pazuello de irregularidades no contrato de aquisição da Covaxin, Lorenzoni disse que o presidente determinou a abertura, pela Polícia Federal, de uma investigação para apurar as declarações do deputado.

"Presidente Jair Bolsonaro, você fala tanto em Deus e permite que eu e meu irmão sejamos atacados por tentarmos ajudar o seu governo, denunciando para o senhor indícios de corrupção em um contrato do Ministério da Saúde. Sempre te defendi e essa é a recompensa?", postou o perfil de Miranda.

O deputado ainda pediu que Bolsonaro "diga a verdade". "Diga a verdade presidente e que de fato estivemos com o senhor dia 20/03 e denunciamos uma irregularidade na aquisição da Covaxin e que o senhor deu o devido tratamento ao caso, conforme informou que o diretor-geral da Polícia Federal receberia os documentos ainda no dia 20 de março."

Luis Miranda ainda citou que cobrou respostas de Bolsonaro nos dias 20, 22, 23 e 24 de março. "Tenho certeza que tomou a melhor decisão para travar [a compra], tanto que até hoje não efetuou nenhum negócio. Então por que me atacar com fake news através do Onyx Lorenzoni? Só tentei combater uma possível corrupção. Deus sabe da verdade".

Na rede social, o deputado conclui: "Realmente ainda estamos sem entender... Não atacamos o governo, mas mostramos algo errado e estamos sendo atacados por isso! O ato por si só fala muito."

Resposta da Secom
Em uma série de mensagens publicadas em seu perfil no Twitter, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República rebateu o deputado e afirmou que era “hora de registrar a verdade sobre a Covaxin, depois de "um dia dedicado a organizar informações e acabar (...) com mais uma narrativa articulada para atacar o Presidente e o Governo”.

A publicação disse que, “ao contrário do alardeado”, não houve superfaturamento nem favorecimento de laboratórios farmacêuticos – se referindo à Precisa Medicamentos, que intermediou o contrato do governo com a Bharat Biotech.

Fonte: CNN Brasil

Nenhum comentário