Últimas do Mix

Auxílio Emergencial pagará até R$ 1.500 a mulheres que foram bloqueadas; veja se você será beneficiada

Auxílio Emergencial pagará até R$ 1.500 a mulheres que foram bloqueadas; veja se você será beneficiada
Foto: Governo Federal


Após uma revisão, o Governo Federal, por meio do Ministério da Cidadania, liberou o auxílio emergencial para mais 110 mil mulheres brasileiras que tiveram o benefício bloqueado. Com o desbloqueio que foi anunciado na última quarta-feira (4), estas chefes de família devem receber todas as parcelas que têm direito em um depósito único, chegando ao valor máximo de R$ 1.500.

Segundo o Ministério da Cidadania, a previsão é que este dinheiro seja depositado na próxima sexta-feira (6) nas contas digitais do Caixa Tem. No caso das beneficiárias do Bolsa Família, o depósito deve seguir o calendário do programa.

A inclusão destas 110 mil mulheres no auxílio emergencial significa um investimento de R$ 82,24 milhões do Governo Federal. Outras 27 mil ainda aguardam uma conclusão da análise do Ministério da Cidadania para saber se passarão a receber o benefício ou não.

Para consultar se você faz parte deste grupo de novas beneficiárias ou se o seu cadastro ainda está em análise, basta consultar o processamento no site consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/.

João Roma, ministro da Cidadania, destaca que o auxílio cumpre uma função importante no suporte da população brasileira. “O Auxílio Emergencial 2021 já contemplou mais de 8,5 milhões de mães solo no Brasil. Desde o início da pandemia, o Ministério da Cidadania trabalha combatendo fraudes e garantindo que o pagamento do benefício do Governo Federal chegue com segurança aos cidadãos que mais precisam”, destaca.



Regras do auxílio emergencial em 2021

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício.










Fonte: CG mais

Nenhum comentário