Últimas do Mix

Homem é preso na Zona Leste após descumprir medidas protetivas e importunar ex nas redes sociais

O homem voltou a importunar a vítima mandando mensagens a ela por meio de redes sociais

Nesta segunda-feira (23/08), por volta das 9h30, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) centro-sul, prendeu um homem, de 26 anos, em cumprimento a mandado de prisão preventiva por crime de perseguição (stalking) e descumprimento de medidas protetivas contra a sua ex-companheira, uma mulher de 24 anos. A prisão ocorreu no bairro Tancredo Neves, zona leste de Manaus.

De acordo com a delegada Débora Mafra, titular da unidade especializada, a vítima havia registrado um Boletim de Ocorrência (BO) por injúria em fevereiro deste ano na DECCM zona norte/leste, ocasião em que foi solicitada a medida protetiva para ela.

“O indivíduo voltou a importunar a vítima mandando mensagens a ela por meio de redes sociais e, inclusive, indo até sua casa. Sendo assim, ela retornou à delegacia e informou o descumprimento da ordem judicial”, explicou Débora.

Conforme a autoridade policial, foi solicitada à Justiça pela prisão dele, e a medida judicial foi decretada no dia 31 de março deste ano, pela juíza Luciana da Eira Nasser, do 2° Juizado Especializado de Violência Doméstica. O homem chegou a ser preso no dia 5 de abril, porém passou a responder em liberdade mediante o uso de tornozeleira eletrônica.

“Após ser solto pela Justiça, ele continuou descumprindo a medida protetiva e também o crime de stalking, pois reiteradas vezes tentava entrar em contato com a ex-companheira. Ela comunicou novamente as nossas equipes e um novo mandado de prisão em nome dele foi decretado, no dia 22 de julho, pela juíza Clarissa Lino, do 2° Juizado Especializado da Violência Doméstica”, relatou.

Encaminhado à unidade especializada, o homem irá responder por descumprimento de medida protetiva e stalking. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será conduzido à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerá à disposição da Justiça.


Nenhum comentário