Últimas do Mix

Mãe fica em apuros após filha de 3 anos engolir broche de roupa

 

Divulgação

Uma mãe, moradora de área rural de Cuiabá, passou por momentos de desespero com a filha de 3 anos. A menina engoliu um broche em formato de coração, que estava em uma roupinha nova e precisou passar por cirurgia de emergência para retirada do adorno, que media 3 centímetros.

Segundo informações, o fato ocorreu na semana passada. A mãe, Eronildes da Silva Neves, 33, relatou que sempre retira todos os acessórios das roupas da filha, mas aquela ainda estava com os pingentes porque era nova e ainda não tinha sido colocada para uso.

Enquanto a mãe cuidava dos afazeres do lar, a menina pegou a roupa, colocou o broche na boca e acabou engolindo. A mãe só se deu conta quando a pequena começou a reclamar de dor de garganta.

A menina contou para mãe que tinha “engolido o coração”, mas ela não tinha entendido. Depois a menina mostrou a roupa sem o enfeite e a mãe se desesperou.

Procurou médico no Posto de Saúde da Família (PSF) e não encontrou. Trouxe a menor para Cuiabá, em atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro e ambas foram encaminhadas para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

“Na sexta-feira passada, os médicos tiveram que entubar a minha filha, pois ela já não estava mais conseguindo respirar. A cirurgia realizada na segunda-feira não foi satisfatória. Foi aí que eles buscaram o apoio do HG, para que pudesse ser feito o procedimento pelo médico que é especialista nestes casos”, contou a mãe.

A menina foi sedada e intubada para passar por cirurgia, mas a remoção era arriscada por conta da localização do pendente, entre a laringe e a traqueia. Foi aí que o trabalho do médico otorrinolaringologista, Dergan Baracat, foi solicitado. Ele é especialista e tem aparelho que consegue remover o objeto pela boca, sem cortar a criança.

Somente para a operação de remoção, a menina foi levada do HMC para o Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá, onde o médico especialista atende.

Na segunda-feira (25), o objeto estranho foi retirado do corpo da criança e ela voltou para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HMC.

O médico Baracat afirma que até os 4 anos é comum acidentes desse tipo, pois as crianças querem explorar o mundo.

"“A gravidade neste caso foi que o objeto engolido pela criança (um pingente em formato de coração) não foi expulso pelo organismo, pois ficou alojado no esôfago, o que poderia ter levado a óbito", relata o otorrino.

Segundo informações, o risco maior já passou e agora ela segue em recuperação para retirada dos remédios. A alta deve ocorrer na próxima semana.




Fonte: Gazeta Digital

Nenhum comentário