Últimas do Mix

Saúde mental: psicólogo alerta sobre perigo do uso inadequado das redes sociais

 

                                                                       Foto:ilustrativa

O impacto das redes sociais na saúde emocional da população tem sido tema de discussão e preocupação dos especialistas. Recentemente, mais um caso gerou grande comoção na sociedade, levantando o debate sobre os limites dos chamados haters (odiadores) no ambiente virtual. Um jovem cometeu suicídio, depois de publicar um vídeo simulando um beijo em um amigo, e ser atacado em milhares de comentários homofóbicos nas redes sociais.

O professor de psicologia Cleison Guimarães Pimentel lembra que neste mês ocorre em todo o País a campanha Setembro Amarelo, em que a população em geral é convocada a refletir sobre suicídio e saúde mental. “Esse tema deve ser tratado o ano inteiro, mas neste mês as ações são intensificadas”, afirmou.

Segundo Guimarães, as redes sociais já estavam em crescimento e com a pandemia ganharam mais fôlego, porque o isolamento levou as pessoas a interagirem mais pelas redes sociais. Esse ambiente virtual, diz ele, pode ser visto como uma moeda. “De um lado as redes sociais são espaços de encontro, comunicação, aprendizado e diversão. Por outro, vêm se tornando o lugar onde fake news, opiniões de ódio e comentários ofensivos crescem de forma exponencial. Nesse cenário, muitas pessoas sentem-se seguras para expressar ofensas e discriminar o outro, em especial minorias sociais, como pessoas LGBTQIA+”, destacou.

De acordo com o professor, as redes sociais não devem ser demonizadas, mas é importante perceber que essas ferramentas vêm dando voz a um problema social. “É um espelho de como estamos lidando uns com os outros”, frisou.




Nenhum comentário