Últimas do Mix

Diesel inicia ano com tendência de alta, e gasolina tem queda

 

Para analista, diesel inicia ano com uma mudança de cenário e alertas de altas - REUTERS/MAX ROSSI

O preço médio do diesel nos postos no Brasil subiu 0,19% desde o início do ano até a última quinta-feira (13), para R$ 5,623 por litro, segundo levantamento feito pela Ticket Log divulgado nesta sexta-feira (14), que apontou ainda uma tendência de alta.

Na comparação com janeiro de 2021, a alta supera 40%, mostrou o Índice de Preços Ticket Log (IPTL) da Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil.

Já o diesel S-10 teve uma alta de 0,24% neste ano até agora, para R$ 5,689 por litro.

Em nota, o head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina, destacou que "2021 terminou com o diesel em estabilidade, mas 2022 já inicia com uma mudança de cenário e alertas de altas".

Na última quarta-feira (12), a Petrobras elevou o preço do diesel nas refinarias em 8%, enquanto a gasolina vendida às distribuidoras teve aumento médio de 4,85%. O reajuste foi o primeiro aumento em 77 dias, segundo a empresa.

Na análise por região, quase todas apresentaram tendência de alta ou estabilidade nos preços em relação a dezembro passado.

Com recuo de apenas 0,17% no valor do diesel comum e de 0,05% no S-10, o Norte continua liderando o ranking dos maiores preços, a R$ 5,826 e R$ 5,889, respectivamente.

Já o Sul ainda é a região com os preços mais baixos para o combustível. Mesmo com os maiores acréscimos, de 0,71% no diesel comum e de 0,91% no S-10, as bombas sulistas comercializaram esses combustíveis a R$ 5,234 e R$ 5,295, respectivamente.

O levantamento é feito com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log.


Gasolina

Já o preço médio da gasolina recuou 0,68% neste ano até quinta-feira, para R$ 6,871 por litro, segundo levantamento da ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas.

É o segundo mês consecutivo de queda no litro da gasolina, de acordo com o levantamento, que contou com o registro das transações realizadas  entre os dias 1º e 13° de janeiro  com o cartão de abastecimento da  ValeCard  em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados.



Reuters*

Nenhum comentário