Últimas do Mix

Dívidas e ganância motivaram sócio a matar empresário em Manaus

Foto: divulgação

O crime que vitimou o empresário Rafael Moura Cunha, de 40 anos, parece estar perto de ser esclarecido após ter sido investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), e depois da prisão que aconteceu sexta-feira (8), do próprio sócio da vítima, Julian Larry Barbosa Soares, 34 anos, suspeito de ter cometido o crime.

De acordo com informações do delegado Ricardo Cunha, da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), mesmo que o suspeito tenha recusado a colaborar com as investigações, existem  "provas robustas em relação a participação dele no crime". 

Ainda segundo a polícia, haviam várias motivações para o crime, Julian tinha uma dívida de aproximadamente R$ 300 mil com a vítima, e não tinha como pagar. Além disso, o acusado que aparenta ser frio e calculista,  herdaria o estabelecimento caso o sócio dele morresse.

Julian, contratou Alinelson William Araújo Pereira, vulgo ‘Coringa’ que usava tornozeleira e foi preso no dia 25 de março. Ele, terceirizou a morte com Adriano Fogassa Almeida, 23, conhecido como “Biscoito” que segue foragido.

O caso

O empresário Rafael Moura Cunha, de 40 anos, foi morto a tiros por volta de 20h30, da noite do dia 02 de dezembro de 2021, na avenida Perimetral II, do bairro do Parque Dez, na Zona Centro-Sul de Manaus. O homem era proprietário da empresa Puraka Mídia, sócio de um Pagode, e do restaurante Fast Temaki. 

Segundo informações preliminares, Rafael estava dentro de um carro blindado modelo Jetta, de placa OAL 7077, em frente da empresa, quando foi abordado por um motociclista que iniciou diversos disparos que atingiram a cabeça,  peito e abdômen da vítima. 

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o empresário foi morto a tiros dentro do próprio veículo em frente a própria empresa. Assista


Nenhum comentário