Últimas do Mix

Morre Freddy Rincón, ídolo do Corinthians e ícone da seleção da Colômbia


O ex-meio-campista Freddy Rincón morreu nesta quarta-feira (13), aos 55 anos.

O ídolo do Corinthians e da seleção da Colômbia sofreu um traumatismo cranioencefálico grave após se envolver em um acidente de carro durante a madrugada de segunda-feira (11), na cidade de Cali.

O ex-atleta foi levado ao hospital e passou por cirurgia na UTI, mas não resistiu e veio a falecer devido às complicações. O anúncio foi feito no início da madrugada desta quinta (14) por Laureano Quintero, diretor médico da clínica Imbanaco, onde o craque estava internado.

"A clínica Imbanaco, do grupo QuirónSalud, ao lado dos familiares e com toda a autorização, informa que, apesar de todos os esforços de nossas equipes de trabalho, o paciente Freddy Eusebio Rincón Valencia morreu. Queremos expressar nossos sinceros sentimentos de condolência a seus familiares, seus amigos, aos seus chegados, aos seus seguidores de todo o planeta. Nunca haverá forma de expressar o que sentimos ao perder um paciente. Quem quer que seja o paciente", disse Quintero.

"Nós pedimos a todos, por favor, que que celebrem e enalteçam a vida de Freddy Eusebio. Por todas as alegrias que eles nos deu. Por tudo que ele fez a gente vibrar, muitas vezes. Existem muitos Rincons neste planeta. Obrigado a seu maravilhoso jeito de viver e sua excelência desportiva. Celebremos sua vida, como merece Freddy".

Aposentado do futebol desde 2004, o ex-meio-campista defendeu grandes clubes no futebol sul-americano e europeu, como Independiente Santa Fe, América de Cali, Palmeiras, Napoli, Real Madrid, Santos e Cruzeiro.

No entanto, ele tem sua imagem sempre associada ao Corinthians, equipe na qual viveu sua melhor fase e pela qual foi multicampeão.

Pela seleção colombiana, Freddy disputou as Copas do Mundo de 1990, 1994 e 1998, destacando-se especialmente nas eliminatórias do Mundial de 1994, quando os cafeteros golearam a Argentina por 5 a 0 em pleno Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

Carreira vitoriosa

Nascido na cidade de Buenaventura, Rincón começou a carreira como meia no Atlético Buenaventura e rapidamente chamou a atenção dos grandes clubes de seu país.

Meio-campista de porte físico avantajado, mas também dotado de enorme classe no passe e na finalização, ele foi contratado pelo Tolima, em 1986.

No ano seguinte, já estava no Independiente Santa Fe, uma das maiores equipes da Colômbia.

Após o título da Copa da Colômbia, em 1989, Freddy foi contratado pelo poderoso América de Cali e explodiu de vez.

Campeão colombiano em 1990 e 1992 pelos "Diabos", Rincón se tornou titular absoluto da seleção colombiana e jogou a Copa do Mundo de 1990 e a Copa América de 1993 pelos cafeteros.

Pela seleção colombiana, ele também esteve presente na Copa do Mundo de 1998, na França, chegando ao seu 3º Mundial.

Conhecido por seu temperamento explosivo e pelas muitas brigas com os companheiros de equipe, Freddy deixou o Corinthians ainda em 2000 e foi para o Santos.

Sua passagem pela Vila Belmiro foi curta, e, em 2001, ele mudou mais uma vez de equipe, indo para o Cruzeiro.

Depois disso, o colombiano ficou três anos sem jogar antes de aceitar convite para ter uma nova passagem pelo Timão, em 2004.

Desta vez, porém, o meio-campista não conseguiu repetir o sucesso, optando por pendurar as chuteiras e encerrar a carreira de jogador no mesmo ano.

Em 2006, Freddy começou carreira de treinador, comandando o Iraty, do Paraná.

Passou ainda por São Bento, São José-SP, Corinthians sub-20 e Flamengo-SP, e teve também um período como auxiliar do Atlético-MG (com Vanderlei Luxemburgo), antes de encerrar sua aventura nos gramados.


Fonte: ESPN

Nenhum comentário