Últimas do Mix

Colômbia terá segundo turno entre esquerda e 'Trump colombiano'

Gustavo Petro e Rodolfo Hernández disputam segundo turno, marcado para 19 de junho. GETTY IMAGES

Gustavo Petro e Rodolfo Hernández disputarão o segundo turno das eleições presidenciais colombianas em 19 de junho, segundo contagem inical.

Com 98,5% das mesas informadas, Petro adicionou 40% de suporte, Hernández 28% e Federico "Fico" Gutiérrez quase 24%.

Mais de 39 milhões de colombianos foram às urnas neste domingo em um país onde o voto não é obrigatório.

A eleição ocorreu em meio a uma profunda polarização devido ao descontentamento social derivado da desigualdade e da pobreza, além de demandas para reduzir a insegurança nas cidades e a violência nas áreas rurais onde operam grupos armados ilegais dedicados ao narcotráfico.

Mais de 85% dos colombianos acham, segundo a pesquisa Invamer, que o país está no caminho errado. Desde a década de 1990, o momento mais agudo do conflito armado, números tão altos de pessimismo não foram relatados.

Por isso, todos os candidatos oferecem uma mudança, embora nem todos da mesma dimensão.

Quem são os candidatos do segundo turno

Colombian presidential candidate left-wing Gustavo Petro, listens to Francia Marquez as she delivers a speech during a campaign rally in Cali, Colombia, May 19, 2022.
Getty Images
Gustavo Petro and Francia Márquez appeal to voters who demand change

Já antes das eleições, o candidato do Pacto Histórico de esquerda, Gustavo Petro, um economista de 62 anos que foi prefeito de Bogotá e é atualmente senador, liderava as pesquisas como favorito, mas ainda longe dos 50% de apoio necessário para evitar o segundo turno.

Petro foi membro do M-19, grupo guerrilheiro desmobilizado em 1990, mas que cometeu muitos atos violentos no país - fator amplamente usado contra ele por seus adversários. Ainda muito jovem, aos 21 anos, seu trabalho na esfera pública como conselheiro municipal, uma espécie de vereador.

Na última eleição, Petro também avançou ao segundo turno, mas foi derrotado por ampla margem pelo atual presidente, Iván Duque.

Sua companheira de chapa é Francia Márquez, uma ambientalista afro-colombiana que galvanizou muitas comunidades indígenas, negras e marginalizadas. Se a dupla vencer, ela será a primeira vice-presidente negra, e Petro será o primeiro presidente de esquerda do país na história recente.

Rodolfo Hernández
Getty Images
Rodolfo Hernández se ubicaba tercero en las encuestas previas, pero logró superar a Federico Gutiérrez.

O segundo lugar ficou com o empresário e ex-prefeito de Bucaramanga Rodolfo Hernández, de 77 anos.

Ele trabalhou como empresário da construção civil, ramo no qual acumulou sua fortuna.

Depois de uma passagem marcada por controvérsias - mas ainda com boa aprovação popular - como prefeito de Bucaramanga, uma cidade de cerca de 500 mil habitantes no nordeste da Colômbia, decidiu lançar-se como candidato independente à presidência.

Ele ganhou popularidade por seus vídeos excêntricos nas redes sociais, nos quais aparece cantando e andando de bicicleta e skate, por seu discurso contra a corrupção e por sua fama de 'Trump colombiano', em referência ao ex-presidente dos Estados Unidos.

Assim como o americano fez em sua campanha, Hernández se apresenta como um candidato anti-sistema, um "outsider".

Desde novembro, ele ocupava o terceiro lugar nas pesquisas. Curiosamente, sua intenção de voto foi de 13% em quase todas as pesquisas de 2021 até o final de abril.

Até três semanas atrás, os números indicavam que ele seria derrotado na primeira fase da disputa presidencial. No entanto, nas últimas quatro semanas, o candidato começou a aumentar exponencialmente a porcentagem de votos.

Nenhum comentário