Últimas do Mix

FCecon alerta para males causados pelo tabagismo

 

Imagem: Reprodução da web

Manaus (AM) – O consumo de cigarro está associado a 12 tipos de câncer, doenças cardiovasculares e pulmonares. No Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), reforça e alerta a população de que o fumo pode levar a pessoa à morte.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), ligado ao Ministério da Saúde (MS), o tabagismo foi responsável pela morte de 161.853 pessoas no Brasil, em 2020, uma média de 443 mortes por dia.

O tabagismo é responsável por 30% de todas as doenças cardiovasculares e 90% de todos os cânceres de pulmão, alerta o cardiologista Aristóteles Alencar, coordenador do Programa Estadual de Controle do Tabagismo no Amazonas, programa ligado ao Departamento de Prevenção e Controle de Câncer (DPCC/FCecon). Segundo ele, o fumo também está relacionado a doenças vasculares, que podem levar à amputação de membros, ao Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ao infarto do miocárdio.

“Fumar pode levar a pessoa à morte. É uma equação muito simples. Metade dos fumantes morre; a outra metade fica doente. Ninguém passa incólume em relação ao cigarro. O melhor cigarro é aquele que não é fumado. Mesmo que seja um por dia, ele pode causar doenças”, afirma Alencar.

Amazonas

Dados do Registro Hospitalar de Câncer (RHC) da FCecon apontam o diagnóstico de 88 pessoas com câncer de traqueia, brônquio e pulmão, em 2020. Já as estimativas do Inca apontam que o Amazonas irá registrar 320 novos casos desses cânceres para cada ano do triênio 2020 a 2022. Mas o tabagismo está associado a outros 11 tipos de câncer, dentre eles de boca, laringe, bexiga, esôfago, colo do útero e estômago.

Ações

No Estado, o Programa Estadual de Controle do Tabagismo desenvolve há 20 anos um trabalho de conscientização sobre os males do tabagismo. São palestras e treinamentos para equipes da Saúde e Educação de Manaus e do interior, e atividades educativas para a população.

As ações tiveram resultado e o Amazonas ficou em terceiro lugar entre os Estados que tiveram o maior número de abandonos ao cigarro, conforme a última pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do MS, de 2019. O Estado teve, também, a primeira capital no país onde o fumo dentro de shopping foi abolido. Esse fato ocorreu no dia 31 de maio de 2000, no Amazonas Shopping. A partir dessa data, essa medida foi seguida em outros estados.

Ajuda

O tabagismo é considerado uma doença crônica e a ajuda ao fumante pode ser obtida nos Ambulatórios do Fumante, de responsabilidade das prefeituras. No caso de Manaus, uma lista com os locais de atendimento (https://semsa.manaus.am.gov.br/prevencao-e-controle-do-tabagismo/) está disponível no site da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Os serviços fornecem suporte profissional e medicamentoso para pessoas que desejam parar de fumar.

“Assim como nós temos atendimento ao diabético e ao hipertenso, o tabagismo é considerado uma doença crônica, então a pessoa tem que se tratar, não pode querer se curar por si próprio. Raramente, a pessoa consegue abandonar por sua livre e espontânea vontade. O ideal é que tenha um acompanhamento para que não haja uma recaída”, disse Aristóteles Alencar.


Nenhum comentário