Últimas do Mix

Clientes de bar se assustam com pessoas correndo, pensam que é arrastão e causam tumulto; 'Depois disseram que era crossfit; veja vídeo


Foto: Divulgação
Clientes de um bar em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, levaram um susto e causaram um tumulto ao verem pessoas correndo na calçada e pensarem que estava acontecendo um arrastão (veja vídeo acima). "Depois, disseram que era crossfit", afirmou o médico Amyr Kelner, uma das pessoas que estavam no local.

O caso, que ocorreu no sábado (17) e viralizou no Twitter nesta quinta-feira (22), ficando entre os tópicos mais comentados dessa rede social. As imagens foram registradas por uma câmera de segurança da Cervejaria Alphaiate, bar em que os clientes estavam.

No vídeo, é possível ver, primeiramente, uma mulher correndo e olhando para trás, no meio da calçada. Há várias mesas e guarda-sóis no local, que estava cheio de clientes.

Em seguida, passam dois homens correndo, um deles com um cachorro. É aí que os clientes começam a se assustar. A primeira a se levantar da cadeira é uma mulher, que começa a andar rapidamente.

Logo depois, um homem se levanta e corre para o meio da calçada, guardando o celular no bolso. Este é o cirurgião plástico Amyr Kelner. Ele olha para trás e começa a correr, arrastando dezenas de pessoas, que se assustam e também decidem fugir do local.

No tumulto, mesas e cadeiras são derrubadas. Um homem que está mais próximo da pista chega a ser derrubado da cadeira durante a correria. Segundo Amyr Kelner, não havia nenhum problema aparente, o que assustou os clientes foram as pessoas correndo.

Amyr Kelner contou que o desespero foi generalizado não só no bar em que ele estava, mas em estabelecimentos próximos também. "O pessoal se abaixou nos outros bares e começou a correr. A gente entrou no Alphaiate, se abaixou e, depois de alguns minutos, vimos que nada acontecia. Todo mundo começou a rir e voltou para as mesas como se nada tivesse acontecido", afirmou.

Na mesa em que Amyr estava, havia mais seis pessoas. Todas correram. Algumas deixaram bolsas e celulares na mesa, mas nada foi levado.

"Quando me levantei, botei o celular e a carteira no bolso. Teve gente que pensou que eu estava sacando uma arma. É coisa de morar numa cidade tão insegura como a nossa. Graças a Deus, nunca fui assaltado, nem passei por algo do tipo, mas você está numa cidade extremamente perigosa e vê três pessoas correndo, vindo na sua direção", declarou.

Fonte: G1




Nenhum comentário