Últimas do Mix

Homens que mataram motorista de app em Manaus são soldados do PCC e confessam que planejavam ataque a rival

Foto: Divulgação
O trio de criminosos que matou o motorista de aplicativo Agnaldo Freire Silva, de 41 anos, composto por Carlos Javier Carreno Pinzon, Railson Lucas Silva de Vasconcelos, e Robert Diego Serrão dos Santos, afirmou que faz parte da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), e que no dia do latrocínio, planejava executar um soldado da facção rival.

Agnaldo foi morto no dia 5 de setembro, na Avenida Ramos Ferreira, no Centro de Manaus, nas proximidades da Praça da Saudade.

Segundo relatos dos próprios suspeitos, o trio planejava roubar o carro de Agnaldo Freire, para usar o veículo para executar a ordem da facção e matar um suposto integrante do Comando Vermelho (CV), em outra área da cidade. 

Ainda conforme relatos dos suspeitos, para executar o plano da facção, eles teriam planejado assaltar o trabalhador, mas a reação do mesmo, resultou no assassinato. As informações foram repassadas pelo delegado Adriano Félix, titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD.

“Railson disse que ele era de uma facção e tinha recebido um ordem para matar um rival. Então ele, Robert e o venezuelano Carlos Javier, saíram pela cidade para roubar um carro e praticar o homicídio do rival. Durante a abordagem desse motorista de aplicativo, eles acabaram desferido três disparos e matando a vítima”, detalhou a autoridade policial. 

Os suspeitos também admitiram ter usado maconha antes de sair para cometer o assalto, e que entraram no carro da vítima, chegaram a perguntar se a mesma era motorista de aplicativo e solicitaram uma corrida.

Poucos momentos depois, o trio percebeu que estava sendo monitorado e que o rádio do aplicativo já estava ligado, anunciou o assalto.

O delegado explicou que a vítima ficou assustada e acelerou o carro, deixando os criminosos irritados. Agnaldo tentou desarmar Railson, mas o suspeito efetuou dois disparos contra o motorista. Em seguida, o motorista parou o carro e saiu, mas recebeu o terceiro tiro e morreu na hora.

Após o crime, os suspeitos fugiram do local e populares tentaram socorrer a vítima. Imagens das câmeras de segurança instaladas na região ajudaram a identificar os criminosos.

Dois dos suspeitos, já possuem passagem pela polícia por outros crimes, e Robert Diego usava tornozeleira eletrônica, e não poderia estar na rua no momento em que o motorista de aplicativo foi morto.

Nenhum comentário