Últimas do Mix

Crianças menores de 3 anos de idade começam a ser imunizadas contra a Covid-19 em Manaus

Fotos – Elienai Emanuel / Semsa
A campanha de vacinação contra a Covid-19, executada pela Prefeitura de Manaus, começou a alcançar, nesta sexta-feira, 18/11, as crianças de seis meses a menores de 3 anos de idade (2 anos, 11 meses e 29 dias), com comorbidades. A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) oferta quatro pontos de imunização para esse público, um em cada zona geográfica da cidade.

O subsecretário municipal de Gestão da Saúde, Djalma Coelho, informa que há cerca de 2.320 crianças incluídas nesse público em Manaus, conforme levantamento dos registros oficiais do Sistema Único de Saúde (SUS). A meta da Semsa é vacinar 2.088 crianças, ou seja, 90% do público estimado.

“A gente lembra que as crianças são dependentes dos pais ou responsáveis, então quem decide se ela vai ser vacinada ou não são os seus tutores. Por isso, estamos aqui para sensibilizar e convocar esses pais, avós e tios, para que levem suas crianças dessa faixa etária para receberam o imunizante nas unidades de referência”, disse.

Conforme Djalma, esse público deve ser vacinado com três doses, com intervalo de quatro semanas entre a primeira e a segunda, e oito semanas entre a segunda e a terceira. O imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o fabricado pela Pfizer Biontech, com concentração diferente da destinada aos outros públicos, com rótulo e tampa na cor vinho.

“A Gerência de Imunização da Semsa desenvolveu um plano de operacionalização da nova etapa da campanha, logo após a liberação do Ministério da Saúde, e os vacinadores já foram treinados para aplicação desta vacina, que tem algumas especificidades”, contou Djalma.

O subsecretário explicou, ainda, que o imunizante contra a Covid-19 pode ser aplicado com outras vacinas do calendário básico, sendo contraindicada apenas nos casos em que a criança apresentar febre ou sintomas gripais.

“Nós precisamos acreditar na ciência e nos órgãos responsáveis pela saúde da população, como o Ministério da Saúde. Temos que confiar nos pesquisadores, cientistas, imunologistas, todos os profissionais que compõem a comissão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, para a liberação dessas doses, pois elas só são disponibilizadas quando há segurança comprovada”, finalizou.

Endereços

A vacinação contra a Covid-19 para crianças de seis meses a menores de 3 anos de idade será oferecida em quatro unidades de referência da rede de municipal de saúde: UBS Áugias Gadelha, na zona Norte; UBS José Rayol dos Santos, na zona Sul; UBS Deodato de Miranda Leão, na zona Oeste; e UBS Alfredo Campos, na zona Leste.

O atendimento para esse público será de 8h às 14h, de segunda a sexta-feira, e de 8h às 12h, aos sábados. A Semsa informa que o número reduzido de endereços tem por objetivo evitar o desperdício de doses, visto que a vacina vem em frascos com dez doses, com validade de até 12 horas após aberto.

Na zona rural, as estratégias de vacinação serão definidas de acordo com o funcionamento das unidades terrestres e dinâmicas de visitação das comunidades.

Documentos

Para ser vacinada, a criança precisa ser levada por um dos pais ou responsável maior de 18 anos, portando documento de identificação com foto ou certidão de nascimento; Cartão Nacional de Saúde (CNS) ou CPF; caderneta de vacinação; e original e cópia de documento que comprove comorbidades (laudo médico, receita ou carteira dos programas de saúde).

O Ministério da Saúde elenca a seguinte lista de comorbidades para esse público: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas, doença renal crônica, imunossupressão, hemoglobinopatias graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática.

Nenhum comentário