Últimas do Mix

Grupo criminoso é preso por roubar mais de R$ 280 mil em mercadorias em Manaus; veja vídeo

Foto: Divulgação
Adriano Costa dos Santos, de 27 anos, Dibilson Ramires Bernardo, de 35 anos, Guaracy Lacerda Pinheiro, de 64 anos, Jocefredson Lima de Souza, de 35 anos, e Lucas Coutinho das Neves, de 36 anos, foram preso nessa quinta-feira (3), suspeitos de roubarem mais R$ 250 mil em mercadorias em Manaus.

O grupo é investigando por roubar uma carga de margarina avaliada em R$ 250 mil, no dia 27 de julho deste ano, depois que a carga saiu do Porto Chibatão.

Conforme informações divulgadas pela Polícia, o crime foi minunciosamente arquitetado pelos suspeitos, e contou com a participação de outras duas pessoas que estão foragidas.

“Fredson tirou essa carga a empresa e no momento que estava levando para um supermercado grande da região e acabou deixando essa carga no Distrito para o carreteiro Lucas vir buscar. O carreteiro levou essa carga para um depósito onde o vigia era o Adriano, então esses quatro indivíduos foram preso. Evaldo e Lionaldo, o “Alemão”, chefe da organização criminosa, continuam foragidos”, explicou o delegado Adriano Félix da Delegacia de Roubos e Furtos do Amazonas (DERFD-AM).

Os suspeitos Fredeson e Dilbson também são acusados de roubar uma carga de sapatos e revender para um empresário que foi preso na mesma operação da PC. 


Outro crime

A carga de calçados foi furtada no dia 1 de novembro deste ano, por volta das 16h30, em uma loja de calçados no bairro Cidade de Deus, zona Norte de Manaus. E de acordo com as investigações, o material foi receptado pelos próprios colaboradores da empresa que agiam na companhia de mais funcionários da logística.

Além do grupo, o empresário Andrei Gama de Oliveira, de 29 anos, também foi preso por receptar os itens roubados.

“Andrey foi o receptador que comprou 200 caixas de uma sandália de marca com a ajuda de dois autores de dentro da empresa, como o motorista de caminhão que era o Jocefredson e o ajudante Dilbson. O Andrey era proprietário de um estabelecimento pequeno e acabou adquirindo esse material com 1200 pares de calçados. A gente não descarta o empilhador e também o conferente da empresa, e por isso eles serão ouvidos aqui na DERFD, se acaso a participação deles for confirmada também serão presos”, declarou o delegado.

Veja:

Nenhum comentário