Últimas do Mix

Morte de pai de família durante assalto a ônibus relembra caso Melquisedeque

Foto: reprodução
A comoção da história do pai de família, José Roberto Barbosa, de 44 anos, morto após reagir um assalto dentro de um ônibus da linha 640,  nesta terça-feira (22), no início da Avenida Max Teixeira, na zona Norte de Manaus, relembrou um caso que marcou a população de Manaus, com a morte similar de Melquisedeque dos Santos Vale, de 18 anos, outro cidadão de bem, morto em 2021 próximo ao período natalino.

José Roberto foi morto na frente da mulher e dos filhos com uma facada no peito enquanto estava indo a caminho do cinema para comemorar o aniversário de 13 anos de um dos seis filhos do casal.

Segundo a esposa da vítima relatou ao G1, além do aniversariante, outros quatro filhos presenciaram o momento em que o pai foi esfaqueado.

Ainda conforme a esposa da vítima, na ação criminosa, o assaltante pediu o celular e quando José disse que não tinha, o criminoso reagiu e o golpeou com uma facada.

SSP se pronuncia

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que determinou a intensificação das ações de policiamento em Manaus para combater os crimes de assaltos a ônibus do transporte público.

Segundo a Secretaria Pública, operações diárias e pontos de fiscalização foram reforçados na capital.

A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) também informou que vem realizando, de forma permanente, operações nas principais vias em todas as zonas da capital.

Ainda de acordo com a secretaria, o secretário de Segurança Pública do Amazonas, general Carlos Alberto Mansur, pediu celeridade nas investigações para elucidação do caso. "A SSP-AM orienta aos usuários do transporte público coletivo para que não reajam em casos de assalto. As ocorrências devem ser denunciadas para o sistema de segurança por meio do 190", diz a nota.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), da a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM).

Média de assaltos a ônibus 

Dados do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amazonas (Sinetram) apontam que no ano passado foram registrados em Manaus 1.669 de assalto a ônibus.

Ainda segundo o Sinetram, o furto é uma das práticas mais registradas na hora de maior movimento dos terminais e ônibus.

Caso Melquisedeque

Em 2021,o jovem Melquisedeque dos Santos Vale, de 18 anos,foi assassinado friamente durante um assalto ocorrido no ônibus de linha 444, na Avenida Santos Dumont, zona Oeste de Manaus.

O caso que ganhou bastante repercussão na época.

O jovem era natural de Manaquiri, e era indígena da etnia Sateré-Mawé. Ele havia acabado de conquistar o primeiro emprego que tinha começado há cerca de uma semana. Imagens como o crachá de Melquisedeque viralizaram nas redes sociais, além da cesta natalina e um panetone que foi encontrado junto ao corpo e que o jovem nunca chegou a entregar como havia prometido para a mãe.

Segundo testemunhas, no dia do crime, um dos assaltantes acabou disparando contra a vítima que teria entregado o celular sem reagir. Melquisedeque morreu com um tiro na cabeça de arma calibre 12.

Nenhum comentário