Últimas do Mix

Pesquisa mostra aumento no índice de mulheres mortas por armas de fogo

Foto: Reprodução.

Brasil - Aumenta o número de mulheres assassinadas no país, especialmente com armas de fogo. É o que aponta a pesquisa  “O Papel da Arma de Fogo na Violência contra a mulher”, que acaba de ser divulgada pelo Instituto Sou da Paz, organização não governamental que há vinte anos atua no combate à violência no país.

De acordo com o estudo, o número de homicídios de brasileiras aumentou 5% em 2020, em se tratando apenas daqueles cometidos com armas de fogo. Nas regiões Norte e Nordeste, os índices são 60% superiores à taxa nacional.

A coordenadora de projetos do Instituto Sou da Paz, Cristina Neme explica esse resultado é preocupante: “Isso reflete as dinâmicas mais violentas que estão presentes nessas regiões e o acesso a arma de fogo. A arma de fogo é um fator fundamental dos conflitos armados, das disputas, disputas entre facções, entre grupos de crime organizado, ela é um elemento fundamental de poder”.

O estudo também aponta que as negras são as principais vítimas. Sete em cada dez mulheres assassinadas por arma de fogo no país são negras. Cristina Neme aponta que o quadro está relacionado com o racismo: “A desigualdade racial ela aparece na vitimização tanto de mulheres como de homens no país, e ela é permanente. Isso se repete ao longo do tempo e isso reflete o racismo estrutural que nós temos na nossa sociedade”.

Além disso, a pesquisa aponta que o homicídio dentro de casa segue alto: 27% das mulheres assassinadas com arma de fogo morreram dentro de casa, a maior proporção desde 2012. Outro dado alarmante refere-se ao perfil do agressor. Em 2020, a cada quatro mulheres vítimas de violência não letal com arma de fogo, uma foi agredida por seu parceiro ou ex-parceiro. O estudo também aponta que quase um terço das mulheres vítimas de violência armada relataram ter sofrido episódios anteriores de violência.

A pesquisa foi feita com base em dados da vitimização feminina, de 2012 a 2020, reunidos pelos sistemas de informações da Saúde, o Datasus, órgão da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde.

Edição: Rádio Nacional/Edgard Matsuki

Nenhum comentário