Últimas do Mix

Roberto Carlos sobre morte de Erasmo: “Minha dor é muito grande”

 

Divulgação/ Globo

O cantor Roberto Carlos usou uma rede social para se despedir do amigo Erasmo Carlos, que morreu nesta terça-feira (22/11), aos 81 anos. No texto que acompanha imagens e músicas dos dois ao longo dos anos, ele falou sobre sentimentos e pontuou qualidades do compositor com quem escreveu hits como Detalhes e Emoções.

“Minha dor é muito grande, nem sei como dizer tudo o que eu penso desse meu amigo querido, meu grande irmão. Meu ídolo por tudo, pela sua lealdade, sua inteligência, sua bondade, por tudo o que eu conheço dele”, começou Roberto.

Ele definiu o Tremendão como “um ser humano maravilhoso” e continuou com as declarações. “É um privilégio para mim ter um amigo, um irmão assim, por todos esses anos. Difícil encontrar palavras para falar desse cara: o meu amigo Erasmo Carlos. Ele viverá sempre em meu coração.”


Amizade de Roberto Carlos e Erasmo

Amigos de longa data, os cantores se conheceram em 1958 e mantinham uma relação pessoal e profissional, que incluía ligações diárias ao telefone. Em 2018, Erasmo Carlos falou sobre a parceria com o Rei e como surgiu a amizade entre os dois.

“Eu era um menino que, como muitosc não sabia o que era rock’n roll. Ouvi dizer que existia uma banda Vocal e fui conhecer essa banda, que era por coincidência com Tim Maia, meu amigo da rua. A partir daí fui conhecendo Roberto Carlos, mas nessa época só era fã de rock. Com o tempo, por uma necessidade dele, que queria uma letra de música, veio a amizade”, relatou em entrevista ao podcast Essenciais, da Deezer

A letra em questão era Hound Dog, música que ficou conhecida através de uma versão de Elvis Presley, que Roberto queria cantar em um festival.

Velório de Erasmo

O velório de Erasmo Carlos será fechado e vai receber apenas familiares e amigos do artista. O compositor morreu nesta terça-feira (22/11), aos 81 anos, no Rio de Janeiro.

Em nota enviada ao Metrópoles, a família e equipe de Erasmo pedem que quem quiser homenageá-lo, o faça reconhecendo o trabalho dele. “Escute suas músicas, suas mensagens. Nada o faria mais feliz e amado!”, diz o texto.

O comunicado, assinado também pela equipe do hospital Barra D’Or, ressalta que o artista tratava um “paniculite (inflamação da camada de gordura que fica abaixo da pele) complicada por sepse de origem cutânea”.


Fonte: Metrópoles

Nenhum comentário