Últimas do Mix

Entenda por que Fluminense e Vasco estão mais ativos no mercado do que Flamengo e Botafogo para 2023

Pedro Raul no anúncio pelo Vasco Foto: Daniel RAMALHO/VASCO

Diferentemente dos anos anteriores, o futebol carioca tem visto dois de seus principais clubes tomarem o protagonismo na janela de transferência. O milionário Flamengo e o Botafogo com investimentos da SAF deram lugar para Fluminense e Vasco com apetite no mercado. Mas explicar essa crescente e retomada de protagonismo já passa por uma análise maior sobre a situação de cada clube.

O Vasco, por exemplo, acertou as contratações do atacante Pedro Raul, ex-Goiás, do zagueiro Léo Pelé, ex-São Paulo, o volante De Lucca e tem encaminhado o acerto com o lateral-esquerdo Lucas Piton, que irá deixar o Corinthians. Até aqui, estima-se que o cruz-maltino investiu cerca de R$ 42,9 milhões nesta janela de transferência. Muito por causa da entrada do investimento da 777 Partners devido ao clube ter virado SAF.

Esse talvez seja o ponto que explique o protagonismo do Vasco. Entre todos os grandes clubes cariocas, o Vasco era, sem dúvidas, o que mais precisava investir em contratações. A quase permanência na Série B por mais uma temporada deixou bem claro isso. Muitas peças saíram e novas devem fechar até o início da temporada. Bom sinal para Maurício Barbieri, técnico que também foi contratado para 2023.

Enquanto o Vasco ainda deve seguir acelerado, o Fluminense já entra no momento de pausa. O que também explica o momento tricolor. Sem ser SAF, o tricolor apostou em oportunidades de mercado e investimento pontuais para reforçar seu elenco para a disputar a Libertadores. E esse foi o motivo de se reforçar tão rápido: aproveitar as brechas para não entrar em disputas — ou leilões — com outros clubes por jogadores em alta, como o atacante Keno, que deixou o Atlético-MG.

Nesta janela, o Fluminense também já acertou com o goleiro Vitor Eudes, o lateral-direito Guga, o zagueiro Vitor Mendes, o lateral-esquerdo Jorge, além de renovar o empréstimo do meia Nathan. Estima-se que o tricolor tenha gasto apenas R$ 14 milhões, o que mostra como a busca por reforços em maior número envolveu valores menores do que comparado com o Vasco.

O tricolor também aposta na manutenção do seu elenco para 2023. Tanto que acertou as renovações com o técnico Fernando Diniz, com o volante Andrém, com o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Germán Cano. Também tem acordos encaminhados para aumentar o vínculo com o zagueiro Nino e com o meia Jhon Arias.

Apesar de apagados, Flamengo e Botafogo não estão parados no mercado. O rubro-negro, por exemplo, contratará o goleiro Agustín Rossi, que está em final de contrato com o Boca Juniors, da Argentina. Outro nome próximo de um acerto é o do meia Gerson, que quer deixar o Olympique de Marseille para voltar a atuar pelo rubro-negro.

Mas mesmo com uma folha salarial milionária, o Flamengo não tem a necessidade de contratar reforços aos montes exatamente por já ter um elenco qualificado. Tanto que conquistou a Libertadores e a Copa do Brasil na temporada passada.

Já no alvinegro, a contratação certa até o momento é a do volante Marlon Freitas, do Atlético-GO, que já tinha um pré-contrato assinado com a equipe. O zagueiro Luis Segovia está em fim de contrato com o Independiente del Valle e também deve desembarcar no Rio de Janeiro.

Neste momento, o Botafogo aproveita o fato de já ter feitos grandes investimentos na temporada passada para colocar a casa em ordem. Antes de contratações, precisa pagar a parcela do 13º, férias e parte dos vencimentos de dezembro que estão em atraso junto ao elenco. Com problema de fluxo de caixa, os reforços terão que esperar.


*Extra

Nenhum comentário