Últimas do Mix

Apoiado pela prefeitura, o Manaus Vôlei/TecToy estreia hoje (21) na Superliga B em Goiânia

Foto – Arquivo / Semcom

A delegação do Manaus Vôlei/TecToy já está em Goiânia (GO), palco de estreia da Superliga B de voleibol masculino de 2023. O time, apoiado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Manaus Esporte (FME), encara neste sábado, 21/1, o Goiás Vôlei, pela primeira rodada da competição, às 18h (Manaus), no ginásio da Serrinha

O elenco foi apresentado oficialmente no último dia 18, com a presença do prefeito David Almeida. Entre os 15 atletas, uma das novidades é o amazonense Bruno Gonçalves. Na etapa Norte/Nordeste da Superliga C de 2022, vencida pelo Manaus Vôlei, o oposto de 36 anos fez grandes exibições defendendo o Nacional FC/Brasileiro e foi convidado para mudar de ares nesta temporada.

“A gente começou ano passado com a bela Superliga C aqui no Amazonas. Movimentou muito o esporte aqui, o segundo mais praticado no Brasil. Orgulho por ter feito esse torneio dentro de casa, ter tido todo o apoio da torcida. Hoje, mudou o desafio, fui convidado para participar desse projeto. Para mim, é muito gratificante, é um sonho sendo realizado, porque a gente vem atrás desse primeiro passo desde pequeno”, disse.

 

Assim como em 2022, na campanha invicta de título da Superliga C, o Manaus Vôlei recebe novamente um importante investimento da Prefeitura de Manaus nesta temporada. O prefeito David Almeida quer que a equipe entre na segunda divisão para faturar o título e chegar à elite nacional. Brunão reconhece a atenção do executivo dada à modalidade e o desejo de colocar a cidade no mais alto escalão.

“O prefeito e o diretor-geral nos dão a oportunidade de poder trilhar esse sonho agora no Manaus Vôlei, representando não somente a cidade, mas também o estado e a região Norte. Então vale dizer que ele começa a alavancar, descentralizar o vôlei do Sul e oportunizar que o Norte também possa beliscar esse lugar no vôlei nacional”, afirmou.

Brunão coleciona conquistas relevantes na carreira como atleta de voleibol, como a Sul-Americana em 2016 pela Ferroviária, Liga Universitária de 2017 pela Universidade Nilton Lins, o Campeonato Amazonense de 2018 pelo Brasileiro, entre outros. Para ele, é motivo de orgulho e satisfação representar uma equipe amazonense numa competição a nível nacional.

“Participar deste projeto, ser pioneiro, ser amazonense, ser da terra, para mim é um grande orgulho, poder representar a minha cidade aqui dentro de casa. Representar esses milhares de amazonenses que tanto gostam de esporte. A quem não gosta, convido a vir acompanhar, visitar o nosso time, onde nós estamos treinando, para que veja. O time é harmonioso, unido, aguerrido e com essa comissão técnica que temos hoje, são profissionais qualificados, como o técnico Talmo, o auxiliar Roger, a comissão amazonense também tenho muito orgulho, Harlei Barroncas, Nilton, Angelo, Amarildo. Com essa comissão, com essa força amazonense, a gente pretende fazer uma boa Superliga B e se Deus quiser colocar o Manaus no topo mais alto do voleibol nacional”, concluiu.

Entusiasmado com mais uma etapa do projeto iniciando, o diretor-presidente da FME, Aurilex Moreira, destacou que a prefeitura não tem medido esforços para apoiar o esporte de base local, e vê Brunão como um exemplo para novos atletas que possam surgir.

“Ter atletas amazonenses na equipe como o Brunão e outros, além de gerar uma identificação com a torcida, nos encoraja a cada vez mais acreditar e investir no trabalho de base aqui. Esperamos formar novos talentos que possam um dia defender o Manaus Vôlei”.

 

A competição

A Superliga B de voleibol masculino vai de 21 de janeiro a 30 de março e terá a participação de dez equipes: Manaus Vôlei-AM, Goiás Vôlei-GO, Azulim Gabarito/Monte Carmelo-MG, Aprov Chapecó-SC, Niterói-RJ, Araucária Vôlei-PR, Vôlei Futuro-SP, Joinville Vôlei-SC, Neurologia Ativa-GO e Minas T.C-MG.

Na primeira fase, os times jogam entre si, em turno único de nove rodadas. Na sequência, os quatro melhores colocados avançam para as semifinais, disputadas em melhor de três jogos. Já a final e a disputa do terceiro lugar acontecerão em jogo único.

Os finalistas garantem acesso para a Superliga A na temporada 2023/2024, enquanto as quatro equipes de pior campanha na fase inicial serão rebaixadas para a Superliga C.

Nenhum comentário