Últimas do Mix

Aumento nos casos de DST 'carnívora' preocupa médicos

 

iStock

Uma rara infecção sexualmente transmissível chamada donovanose tem preocupado os especialistas em saúde do Reino Unido, que desde 2016 monitoram o avanço da doença no país.

Em 2019, o Public Health England identificou um aumento considerável no número de incidências da bactéria Klebsiella granulomatis, causadora do quadro clínico. Foram 30 diagnósticos naquele ano, contra 19 registrados no primeiro levantamento feito pela instituição, três anos antes.

Agora, uma apuração do jornal Birmingham Live antecipa que um novo estudo deverá acusar uma quantidade ainda maior de pessoas infectadas, já que a IST que decompõem a pele é cada vez mais comum nos postos de saúde da Terra da Rainha.

“Os números sugerem que a donovanose, que antes se pensava ser restrita a lugares como Índia e Nova Guiné, está se tornando comum por aqui”, disse a Dr. Shree Datta, da clínica londrina MyHealthCare, ao The Sun.

Vista com mais frequência em países de clima úmido, como Índia e Papua-Nova Guiné, a donovanose causa feridas e úlceras que apodrecem a pele, causando cicatrizes irreversíveis. Cerca de metade dos casos são verificados na região anal por meio de feridas vermelhas e indolores que dafinicam permanentemente a região genital. Ouse jogar no Google, mas não aconselhamos. 

De acordo com a Dr. Shree, os sintomas podem ocorrer em qualquer momento entre 1 e 12 semanas de infecção. Tratada com antibióticos, a doença é curada em cerca de quatro semanas, porém, exames de rotina se tornam necessários por um tempo, uma vez que a IST é conhecida por reaparecer caso a imunidade do paciente diminua em um espaço de tempo próximo.

No Brasil, devido ao comportamento da donovanose no Reino Unido, o Foaesp (Fórum de ONG/Aids do Estado de São Paulo) enviou um ofício ao Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde solicitando informações sobre o número casos no país. Preservativos se provando cada vez mais necessários, galera!





GQ*

Nenhum comentário