Últimas do Mix

Turistas fazendo sexo em dunas nas Canárias viram um problema ambiental

 

Imagem: Reprodução/Wikipedia/Bengt Nyman

O overtourism (termo em inglês para turismo em excesso) é regularmente a causa da degradação de cidades históricas, cobrindo de lixo locais mundialmente famosos e destruindo a fauna e a flora em pontos turísticos de todo o mundo. 

Ambientalistas agora alertam que os turistas estão por trás da destruição gradual de uma praia em uma reserva natural na Europa por um motivo diferente: fazerem sexo no local. A Reserva Natural Especial Dunas de Maspalomas, na ilha espanhola de Gran Canaria, é conhecida por suas dunas de areia selvagens nas proximidades de um farol à beira-mar, e regularmente encabeça a lista de localidades para se conhecer na ilha. 

Suas dunas, legalmente protegidas desde 1982, são um dos últimos sistemas de dunas móveis remanescentes na Europa, proporcionando um local de descanso para as aves que migram entre a África e a Europa. Mas agora a área está proporcionando um tipo diferente de local de descanso, com turistas indo para as dunas para se divertirem e, principalmente, terem relações sexuais. 

Um artigo publicado no Journal of Environmental Management examina pela primeira vez o impacto ambiental na reserva costeira, que vem sendo usada como uma área de parada de cruzeiros marítimos. Os pesquisadores apontaram 298 "pontos de sexo" na praia, em uma área total de mais de 2 km², principalmente entre"vegetação densa e espessa" e nebkas - dunas que se aglomeram ao redor da vegetação. 

Eles os estudaram em maio de 2018, período que incluiu o festival local do Orgulho Gay. O sexo dos turistas e as "pegadas dos cruzeiros" impactam diretamente não apenas as nebkas, mas também oito espécies de plantas nativas, três das quais são endêmicas. Os turistas pisam na vegetação, removem plantas e areia, fazem seus próprios "ninhos" e despejam resíduos como cigarros, preservativos, papel higiênico, lenços e latas.

Eles também usam as dunas como banheiro, pois os pesquisadores identificaram alguns pontos como "locais para urinar e defecar". Quanto mais remoto o local do sexo, mais ele foi usado e mais lixo foi deixado nele, os pesquisadores notaram. 

Embora as autoridades deixem sacos de lixo em algumas das áreas maiores, eles normalmente ficam cheios. Até mesmo na "zona de exclusão" das dunas - que é totalmente proibida ao público, onde outras áreas são restritas - foram localizados 56 pontos de sexo. Os pesquisadores alertam também que os lagartos gigantes da Gran Canária estão sendo afetados. 

"Muitos morreram depois de comer preservativos deixados por caçadores de prazer", escreveu Patrick Hesp, um dos autores do relatório, em um artigo para o The Conversation. Não estamos pedindo o fim do sexo em público, mas queremos que as pessoas estejam cientes dos danos que ele pode causar. 



uol*

Nenhum comentário