Últimas do Mix

Mulher desmaia com dor nas costas e acorda sem os dedos. Entenda

Sadie Kemp/Divulgação

Uma britânica de 34 anos perdeu alguns dedos e deve ter os demais amputados após uma grave doença.

Sadie Kemp construía uma cozinha de brinquedo com seu filho de dois anos no dia de Natal quando sentiu uma dor aguda nas costas que se expandia para o abdômen.

Na hora, ela pensou que dor seria por um mau jeito na coluna, porque se abaixou várias vezes para colocar parafusos na peça de brinquedo.

Meia hora depois, a mãe de dois filhos foi levada por familiares para um hospital da cidade de Peterborough, no Leste da Inglaterra. Kemp gritava com a dor dilacerante.

Na ocasião, os médicos da emergência do Peterborough City Hospital administraram analgésicos e a mandaram de volta para casa, com a indicação de que voltasse à unidade médica caso piorasse.

E assim foi. Rapidamente ela estava de volta ao hospital, onde desmaiou na frente dos médicos. Internada, Sadie Kemp ficou em coma induzido por duas semanas.

“Eu estava celebrando o Natal às 14h30 com minha família e rindo. Às 17h, eu estava lutando pela minha vida”, disse ela ao jornal Mirror.

Reprodução

Infecção avançou

Após avaliação de especialistas, foi descoberto que a mulher se contorcia de dores por conta de pedras nos rins.

Isso a levou a um quadro de infecção que, em seguida, desencadeou uma sepse, complicação potencialmente fatal de uma infecção.

Coágulos sanguíneos cortaram o fornecimento de sangue aos membros da paciente e ela necessitou ter amputados os dedos da mão esquerda.

Assim que suas feridas cicatrizarem, segundo a equipe médica, ela também deve perder os dedos da mão direita.

Ainda está em avaliação a necessidade de também amputar pés e até as pernas da mulher.


Família devastada

Segundo o jornal Mirror, assim que foi tirada do coma, Sadie Kemp falou para a mãe que a família “deveria ter desligado o suporte de vida” dela.

A matriarca então teria perguntado se ela iria preferir que os filhos – Kenzie, 16, e Hendrix, 2 – fossem vistos ao lado da cama dela ou de seu túmulo.

Mesmo devastada, a paciente percebeu que recebeu uma segunda chance, inclusive ao saber pelos médicos que as chances de sobrevivência dela eram mínimas, por conta da gravidade da infecção que tev

Antes do problema de saúde, a britânica passava por um processo que lhe custou cerca de R$ 70,4 mil. Agora, perdeu a casa, o emprego e a nova condição abalou até o relacionamento com o namorado, Lewis.

Mas amigos da mulher criaram uma vaquinha on-line no site GoFundMe para cobrir gastos das crianças enquanto Sadie segue internada. Estes amigos também devem iniciar em breve outra campanha na internet para que ela consiga próteses de dedos.

Reprodução

Assassina silenciosa

Só no Reino Unido, cerca de 45 mil pessoas morrem da doença todos os anos no Reino Unido. Em todo o mundo, alguém morre da condição a cada 3,5 segundos.

No Brasil, estima-se que ocorram 240 mil mortes ao ano em decorrência de um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Conhecida como “assassina silenciosa”, a sepse ocorre quando o corpo reage violentamente a uma infecção atacando seus próprios órgãos e tecidos.





Metrópoles*

Nenhum comentário