Últimas do Mix

Amazonas insere quatro novos municípios no Mapa do Turismo Brasileiro

FOTO: Janailton Falcão/Amazonastur

O Amazonas inseriu quatro novos municípios no Mapa do Turismo Brasileiro. A nova atualização foi divulgada pelo Ministério do Turismo nesta segunda-feira (28/03). Com a entrada de Nhamundá, Atalaia do Norte, São Gabriel da Cachoeira e Coari, o total de cidades no Mapa chega a 26.

O Mapa tem por objetivo orientar a atuação do Sistema Nacional do Turismo no desenvolvimento, regionalizado e descentralizado, das políticas públicas nos territórios nele identificados. A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) é responsável por homologar as informações dos municípios inseridos no Sistema de Informações do Mapa do Turismo Brasileiro (Sismapa).

Os municípios são distribuídos em sete regiões turísticas: Polo Médio Solimões, Polo Alto Rio Negro, Polo Uatumã, Polo Sateré, Polo Madeira, Polo Alto Solimões, Polo Amazônico.

O presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, destaca que a inserção dos municípios no Mapa é fundamental para o desenvolvimento de políticas públicas que potencializem o turismo e, consequentemente, a economia do Amazonas.

“Uma vez o município no Mapa do Turismo Brasileiro, ele fica dentro de um radar do Governo Federal para investimentos, participações em emendas parlamentares e, também, capacitações e acesso às linhas de créditos específicas para os municípios”, disse Litaiff.

Amazonas no Mapa - Os municípios que fazem parte do mapa são: Polo Médio Solimões – Anori, Coari, Uarini; Polo Alto Rio Negro – Santa Isabel do Rio Negro, Barcelos e São Gabriel da Cachoeira; Polo Uatumã -  São Sebastião do Uatumã e  Itacoatiara; Polo Sateré – Nhamundá, Boa Vista do Ramos, Maués e Parintins; Polo Madeira – Borba, Novo Aripuanã e Humaitá; Polo Alto Solimões – Benjamin Constant, Atalaia do Norte e Tabatinga; Polo Amazônico -  Manaus, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Manaquiri, Careiro, Iranduba e Manacapuru.

As cidades de Tefé e Anamã saíram do Mapa em razão do não cumprimento de alguns critérios estabelecidos pelo Ministério, o que poderá ser regularizado posteriormente. Com a nova reformulação do Mapa, as cidades podem ser inseridas no Sismapa a qualquer tempo, ao invés de a cada dois anos como ocorria anteriormente, desde que sejam atendidos os critérios, orientações, compromissos e procedimentos estabelecidos pela portaria ministerial nº 41 e pela portaria estadual nº 178.

Nenhum comentário