Últimas do Mix

Baixa vacinação contra poliomielite acende alerta no Amazonas

 

Vacinação contra poliomielite está disponível nas unidades de saúde de todo o estado. FOTO: Girlene Medeiros/FVS-RCP

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) alerta para a baixa cobertura vacinal de poliomielite (paralisia infantil) no Amazonas (63,5%). A taxa está abaixo do parâmetro exigido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de 95%, para evitar a possibilidade da doença retornar ao estado. Nesse sentido, a Fundação reforça a importância da vacinação e destaca que doses de vacina contra a doença estão disponíveis em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) em todo o estado.

Conforme dados do Programa Nacional de Imunização (PNI), 286 mil doses de vacina contra poliomielite foram aplicadas no estado em 2021. O levantamento é realizado com o quantitativo de doses aplicadas informadas pelas secretarias municipais de saúde nas campanhas de vacinação de rotina para crianças menores de 1 ano.

Em fevereiro deste ano, foi divulgado o registro do primeiro caso de poliomielite (por poliovírus selvagem tipo 3) em Malauí, no sudeste do continente africano, devido à baixa cobertura vacinal. A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, destaca a importância de se ampliar a cobertura vacinal contra poliomielite.

“Com o primeiro caso de poliomielite selvagem registrado no continente africano, faz-se necessário um maior avanço nas imunizações. As autoridades sanitárias conseguiram barrar a circulação do vírus, mas temos que concentrar esforços para evitar que tipos de vírus da poliomielite voltem a circular no Amazonas”, enfatiza Tatyana.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PNI/FVS-AM), Izabel Nascimento, aponta que as doses de vacina contra a poliomielite estão disponíveis em Unidades Básicas de Saúde (UBS), em todo o Amazonas.

“Estamos com uma baixa cobertura vacinal baixa no Amazonas, com pouco mais de 63,5% de doses aplicadas. É preciso que se intensifique a aplicação das doses. Pais e responsáveis devem levar os menores de 5 anos para se vacinar e evitar que a doença seja transmitida e as crianças sejam imunizadas”, adverte Izabel.


Prevenção

A vacinação é a única forma de prevenção da poliomielite. As crianças menores de 5 anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual coordenada pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Governo Federal.

O esquema vacinal contra a poliomielite é de três doses da vacina injetável – VIP (aos 2, 4 e 6 meses) e mais duas doses de reforço com a vacina oral bivalente – VOP (gotinha).


Poliomielite selvagem

Em fevereiro deste ano, foi divulgado o registro do primeiro caso de poliomielite selvagem no continente africano em mais de cinco anos. A circulação da poliomielite selvagem no mundo foi limitada pelo sucesso da vacinação contra a doença, que hoje é endêmica no Paquistão e no Afeganistão. Conforme a OMS, cinco casos de poliomielite selvagem foram registrados em todo o mundo em 2021.

Nenhum comentário