Últimas do Mix

Temporal no Rio de Janeiro deixa pelo menos 14 mortos; maioria são crianças e adolescentes

Foto: Divulgação/Prefeitura de Angra dos Reis

Subiu para 14 o número de mortos após o temporal que atingiu o Rio de Janeiro. A maioria são crianças e adolescentes e moravam nos municípios de Angra dos Reis e Paraty. O temporal, que atingiu a região na sexta-feira, 1º, também afetou municípios da região metropolitana do Rio de Janeiro.

A primeira morte confirmada foi em Mesquita,conforme informou o Corpo de Bombeiros neste sábado, 2. Entre as vítimas das chuvas que caem na região metropolitana e na Costa Verde, estão sete pessoas de uma mesma família.

As vítimas foram a mãe Lucimar e seis filhos: João, de dois anos, Estevão, de cinco anos, Yasmim, de oito anos, Jasmin, de 10 anos, e Luciano, de 15 anos e Lucimara de Jesus Campos, 17 anos. Um sétimo filho foi resgatado com vida e está estabilizado neste momento no Hospital Municipal Hugo Miranda.

Segundo a Prefeitura de Paraty, 219 famílias foram atingidas por alagamento ou perdas materiais, em 22 bairros do município. Há 15 famílias desalojadas e abrigadas em escolas municipais.

O presidente Jair Bolsonaro disse, em suas redes sociais, que o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, está no Rio de Janeiro ajudando nas ações de resposta e no socorro às vítimas do temporal. Além disso, o presidente afirmou que acionou aeronaves para transportar os militares do Corpo de Bombeiros para as regiões mais afetadas.

Até o momento foram encontradas cinco vítimas de deslizamento, entre elas uma menina de aparentemente 4 anos e um menino de 11 anos. Outras pessoas permanecem desaparecidas. De acordo com a Prefeitura de Angra dos Reis, choveu nas últimas 48 horas o equivalente a 655 milímetros, um recorde.

Angra dos Reis

Em Angra dos Reis, a Defesa Civil confirma a morte de seis pessoas. Pelo menos outras 10 ainda estão desaparecidas. Na cidade, os desabamentos atingiram ao menos quatro casas no bairro Monsuaba.

Segundo a administração da cidade uma das mais atingidas, o município registrou volume recorde de chuvas nas últimas 48 horas: quase 700 milímetros no continente e 600 mm na Ilha Grande. Todas as 28 sirenes do sistema de alerta em áreas de risco soaram durante a madrugada deste sábado.

Moradores são orientados a ficar em casa e sair só em caso de alerta de risco de deslizamento ou alagamento. Pelo menos 13 pessoas ficaram desalojadas e precisaram ser acolhidas em abrigos montados pela prefeitura.

Houve deslizamentos de encostas em vários pontos, o que interrompeu a circulação de ônibus que ligam o centro de Angra aos bairros de Jacuecanga, Monsuaba, Ponta Leste e Conceição de Jacareí, a pedido da prefeitura. Outra linhas operavam com restrições nesta manhã.

Manhã de temporal

A Polícia Rodoviária Federal informou que a Rodovia Rio-Santos, BR-101 amanheceu ainda sob chuva intensa e com vários pontos de interdição, parcial e total, por causa de deslizamentos e alagamentos. O trânsito foi totalmente interrompido em ao menos oito trechos da BR-101, entre os quilômetros 446 e 599.

Em Angra, havia dois pontos de interdição por queda de árvore e barreira. Em Paraty, a interrupção era na altura do km 529 e em Mangaratiba, havia quatro pontos de bloqueio. A PRF informou que havia ainda diversos outros pontos de interdição parcial ainda não mapeados "devido à impossibilidade de acesso".

Segundo informações do Alerta Rio, há previsão de chuva fraca nas próximas horas no entorno da capital, principalmente na região costeira. A cidade estava em estágio de alerta desde o fim da noite de sexta-feira, 1, por causa do temporal. Cerca de 57 sirenes foram acionadas em 31 comunidades, segundo o Centro de Operações Rio.

Apesar do alerta, os órgãos orientam que a população pode seguir a rotina normalmente. No entanto, pede atenção aos moradores das regiões mais afetadas para ficarem atentos às atualizações dos canais de comunicação, além de se cadastrar no serviço de alertas da Defesa Civil via SMS.

Conforme o Centro de Operações do Rio, entre 8h e 8h15, houve registro de chuva moderada em Sepetiba. Já a chuva fraca foi acompanhada na Barra, Centro, Recreio dos Bandeirantes e Avenida Brasil.

Em sua conta oficial do Twitter, o prefeito do Rio Eduardo Paes (PSD) compartilhou um vídeo apontando algumas regiões que ainda precisam de uma atenção redobrada. "Meu pedido para vocês é: fiquem atentos, se puderem evitar fazer deslocamento desnecessário, a gente agradece", ressaltou.

Ainda devemos ter um dia de chuvas. À princípio a previsão é de chuvas fracas a moderadas. Alguns bairros da cidade, principalmente os próximos ao litoral ainda enfrentam alagamentos. Peço a atenção de todos em seus deslocamentos.

Estadão

Nenhum comentário