Últimas do Mix

Ao 'Bem, Amigos', Jorge Jesus fala sobre Flamengo e diz que recusou clube da Premier League e seleções sul-americanas

Foto: Reprodução

Em entrevista gravada na semana passada e exibida nesta segunda-feira, no programa "Bem, Amigos", do Sportv, o técnico português Jorge Jesus falou sobre sua relação com o Flamengo, da admiração pelo futebol brasileiro e da recusa a convites de diversos clubes e seleções desde que deixou o Benfica, em dezembro do ano passado. Um deles é o Everton, que disputa a Premier League, além dos brasileiros Corinthians e Atlético-MG.

– Normalmente vou atrás do meu instinto. O fato de vir ao Flamengo (em 2019) foi um pouco do instinto, coração. No momento que apareceu a oportunidade, quis segurar e concretizar. Saí do Benfica há poucos meses, quando saí, tive convite para trabalhar em diversas partes do mundo, inclusive na Inglaterra, no Everton, da Premier League. Não me animou, porque sou habituado a ganhar títulos e não jogos – afirmou, antes de comentar outros convites:

– Fui convidado a trabalhar em três seleções, duas das quais da América do Sul. Tenho dito: só a partir de maio vou definir o que vou fazer – disse, antes de confirmar que uma delas foi o Chile.

Também houve interesse de clubes brasileiros:

– Atlético-MG e Corinthians falaram comigo, mas não chegaram a propostas financeiras. Quando saí do Benfica, não queria trabalhar. Por isso, com todo respeito ao Atlético e Corinthians, dois grandes times que ninguém pode rejeitar, só disse que não queria trabalhar. Queria chegar a maio.

Passagem pelo Flamengo

Jesus contou que tem aproveitado esse tempo para fazer um balanço dos últimos anos e se reunir com sua comissão técnica. Na conversa, também destacou a admiração que tem pelo futebol brasileiro desde a Copa do Mundo de 1970 e pelo técnico Zagallo. O português tambémfalou, claro, do Flamengo multicampeão de 2019:

– Flamengo foi o auge da minha carreira. Apesar de treinar a maior equipe em Portugal, com dez títulos no Benfica, minha passagem pelo Flamengo, para mim, é histórico, não só nos títulos, mas pela relação que tive com os jogadores. Eu nunca tive jogadores que falavam que me amavam. E diziam que me amavam.

Sobre sua saída, Jesus ressaltou o peso da pandemia.

– Ninguém sabia o que era a Covid. E cheguei a ter momentos sozinho em casa. O meu motorista ia comprar a comida e deixava à porta. Parecia que era um 'leproso'. Comecei a pensar nos meus filhos. Lá, posso ajudá-los mais, caso tenha algum problema. O principal problema por ter saído foi a pandemia.

Jesus também falou sobre o momento de pressão à frente do Benfica, no fim do ano passado. Ele tinha uma cláusula de 10 milhões de euros, o que dificultava sua saída. Segundo o treinador, a ida de dirigentes do Flamengo a Portugal, no fim do ano passado, complicou sua situação, aumentando a pressão até seu pedido de desligamento, em 28 de dezembro. Pouco depois, o rubro-negro fechou com Paulo Sousa.

Fonte: Extra

Nenhum comentário