Últimas do Mix

Patrick faz 2, São Paulo vence no tempo normal e garante vaga na final da Sul-Americana nos pênaltis

Patrick foi o nome do jogo e possibilitou Tricolor buscar vaga na final nas penalidades (Foto: Miguel Schincariol / AFP)

A chance de conquistar um título na temporada permanece viva no São Paulo. Na noite desta quinta-feira (8), o Tricolor contou com um Morumbi lotado para lhe empurrar rumo à vitória por 2 a 0 no tempo regulamentar e depois triunfar por 4 a 2 sobre o Atlético-GO nos pênaltis, para assegurar a sua vaga na decisão da Copa Sul-Americana.

Foi a segunda vez seguida que a equipe comandada pelo técnico Rogério Ceni passou por um adversário nas penalidades. Já havia precisado do desempate para superar o Ceará nas quartas de final da competição. Contando a Copa do Brasil, o Tricolor já havia despachado o rival Palmeiras nas oitavas de final desta forma.

A noite foi inteiramente são-paulina. Desde os minutos iniciais a proposta ofensiva de jogo foi colocada em campo. E o resultado foi o gol de Patrick logo aos 4′ de bola rolando. Em noite inspirada, o Pantera Negra ainda marcaria o segundo, levando a decisão da vaga para os pênaltis. E aí contou o sangue frio da equipe do Morumbi, já acostumada a esse tipo de desempate.

O São Paulo volta à decisão da competição secundária do continente após dez anos. Desta vez enfrentará o Independente del Valle, do Equador, em jogo único a ser disputado no dia 1º de outubro, em Córdoba, na Argentina. Na década passada, saiu campeão. É o que a torcida espera do elenco, que deu volta olímpica e sentiu toda a emoção de uma torcida que não aguenta mais ver festa dos rivais. O objetivo da temporada foi cumprido.

O JOGO

Para quem teve uma recepção digna de uma esperançosa torcida, o São Paulo começou o jogo no Morumbi como se deve: em cima, no ataque, buscando o resultado. Deu certo. Aos 3′, Igor Vinícius recebeu a bola na direita e cruzou buscando Calleri. Renan saiu de soco para afastar. No minuto seguinte, contudo, os visitantes não tiveram sorte. Após outro chuveiro na área, Dudu afastou mal, Luciano chutou, o goleiro deu o rebote na defesa e Patrick apareceu para marcar.

Faziam exatos 21 dias que o Tricolor não tinha uma vantagem no placar a seu favor. Faziam três meses que a equipe do Morumbi não marcava antes dos cinco minutos de jogo. E a missão em casa era clara: atacar e buscar tirar a diferença de gols que dava a vaga ao Dragão. Como isso seria possível, contudo, era algo a ser decifrado.

Aos 9′, parecia que a goleada viria até com certa facilidade. Calleri recebeu lançamento na esquerda do ataque, ganha na corrida da marcação e vai em direção às redes. Porém a arbitragem anulou o lance alegando impedimento.

Era um São Paulo ofensivo, aguerrido, como há muito a torcida não via. Mas com o passar do tempo, o caminho aberto para o gol foi se fechando. Aos 11′, Reinaldo cruzou para a área e Calleri cabeceou. A bola explodiu na zaga rubro-negra e os tricolores pediram pênalti. Na sobra da jogada, Luciano finalizou de fora da área de esquerda e Renan espalmou para fora. Na cobrança do escanteio de Igor Vinícius, Diego Costa chegou desviando, para fora.

Aos 14′, mais um gol são-paulino. Mas que foi anulado. Patrick fez o cruzamento pela esquerda, a bola desvia e fica livre para Calleri, que disputou com Klaus e ficou livre para tocar na saída do goleiro. Mas a arbitragem cancelou o lance alegando falta.

A pressão dos mandantes era total. Aos 18′, Reinaldo arremessou um lateral direto para a área, Calleri desviou a bola para trás e Igor Vinícius chegou sozinho para cabecear, mas a bola foi para fora.

Aos 25′, Nestor fez boa jogada na beirada da área pela esquerda e achou um cruzamento na medida para Calleri, mas o camisa 9, sozinho, subiu e testou para fora.

Três minutos depois, mais uma vez o ímpeto tricolor prevaleceu. Luciano recebeu cruzamento na entrada da área, tentou a finalização de primeira, mas pegou mal e mandou pela linha de fundo.

Aos poucos, o Atlético ia equilibrando as coisas no Morumbi. Com uma torcida cada vez mais nervosa e apreensiva, assim como o time em campo, o Dragão conseguia fechar os espaços descobertos pelo Tricolor.

Mesmo assim, o bombardeio dos mandantes continuava. Aos 34′, Calleri recebe cruzamento na área, cabeceia para trás buscando algum companheiro e Luciano acabou tirando a bola na bicicleta armada. Na sequência da jogada, o camisa 9 recebeu dentro da área em posição de finalizar, mas Renan saiu para o abafa e travou a jogada.

Pablo Maia, que entrara no decorrer do primeiro tempo no lugar do contundido Gabriel Neves, foi o autor de mais uma chance desperdiçada pelo São Paulo na etapa inicial. Aos 38′, ele tabelou com Calleri e Luciano na entrada da área e finalizou, mas o arqueiro goiano fez a defesa.

As únicas boas chances dos visitantes em todo o período inicial foram aos 39′. Dudu arriscou o chute da entrada da área, a bola é desviada e Churín acabou travado por Felipe Alves ao tentar aproveitar a sobra. Na sequência, Wellington rato fez o cruzamento na primeira trave e Baralhas desviou com certo perigo, para fora.

O primeiro tempo terminou ainda dando tempo para o São Paulo buscar mais uma jogada ofensiva. Aos 44′, Reinaldo cruzou com perigo, Calleri disputou com Wanderson, ganhou e desviou por cima do gol, raspando o travessão.

NA VOLTA DO INTERVALO, ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA…

Na volta do intervalo, as coisas seguiam a mesma toada do primeiro tempo: um São Paulo atuante no ataque, mas com muita pouca objetividade.

Foram três chances seguidas desperdiçadas. Aos 4′, Reinaldo ficou com o rebote após a bola ser afastada da área, pegou de primeira de esquerda e mandou para fora. Dois minutos depois, Pablo Maia tocou para Calleri na área, e o camisa 9 fez o pivô tocando para trás. A bola ficou sobrada no meio, e Alisson pegou forte de esquerda. O chute explodiu em Klaus, e Patrick apareceu na sobra finalizando. Wanderson completou tirando o perigo.

Aos 8′ mais uma jogada pela esquerda: Reinaldo cruzou com perigo e Alisson chegou por trás da marcação testando. A bola chegou a quicar no chão antes de passar por cima do gol de Renan. Na sequência, Luciano recuperou a bola e abriu Patrick, que bateu forte, mas em cima da marcação.

A agonia nas arquibancadas crescia, assim como a calma tricolor dentro de campo. Aos 14′, Igor Vinícius cruzou no segundo pau e Calleri subiu livre para cabecear, para fora.

O placar das finalizações apontava 18 x 2 para o Tricolor, claramente apontando para um resultado injusto no Morumbi. Mas aí apareceu Patrick de novo. Aos 17′, Alisson recebeu a bola na direita e cruzou para a área. O Pantera Negra se antecipou à marcação de Dudu e finalizou para vencer o goleiro e marcar o segundo tento são-paulino.

O gol aliviava um pouco a aflição são-paulina, mas o relógio ainda apontava jogo no Morumbi. E as emoções prometiam ser fortes até o final. Ao Dragão, sobrara os pênaltis. A Ceni, que desta vez trocou a moda esportiva por um traje social, a aposta em opções descansadas no banco.

Após chances esparsas e nem tão perigosas assim para ambos os lados. A torcida voltou a suspirar nas arquibancadas aos 38′, quando Galoppo, um dos nomes que entraram no decorrer da etapa final, pegou uma sobra da área e bateu de primeira, para a defesa de Renan.

O argentino seria responsável pelas duas chances derradeiras do Tricolor. Aos 45′, cabeceou por cima do travessão um cruzamento de Igor Vinícius. No minuto seguinte, recebeu na entrada da área, tentou o chute, mas pegou fraco para a defesa de Renan, selando a decisão da vaga para os pênaltis.

PÊNALTIS

Reinaldo (São Paulo) – GOL – 1 x 0
Wellington Rato (Atlético-GO) – GOL -1 x 1
Calleri (São Paulo) – GOL – 2 x 1
Baralhas (Atlético-GO) – PARA FORA – 2 x 1
Luciano (São Paulo) – RENAN DEFENDE – 2 x 1
Shaylon (Atlético-GO) – GOL – 2 x 2
​Igor Vinícius (São Paulo) – GOL – 3 x 2
​Léo Pereira (Atlético-GO) – BATEU PARA FORA – 3 x 2
Galoppo (São Paulo) – GOL – 4 x 2

PRÓXIMOS JOGOS

São Paulo e Atlético-GO voltam a campo já neste domingo (8), no mesmo horário, às 16h (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro. O Tricolor recebe o rival Corinthians para o clássico, no Morumbi. O Dragão vai ao Paraná enfrentar o Coritiba, no Couto Pereira.

A final da Sul-Americana acontece somente no dia 1º de outubro, um sábado, em horário a ser definido pela Conmebol. O adversário do time brasileiro será o Independente del Valle, do Equador. O jogo acontecerá em Córdoba, na Argentina.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 (4) x (2) 0 ATLÉTICO-GO
COPA SUL-AMERICANA – SEMIFINAL – JOGO DE VOLTA

Local: Morumbi, São Pauo (SP)
Data e hora: 8 de setembro de 2022 (quinta-feira), às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Assistentes: Gabriel Chade e Facundo Rodriguez (ARG)
Público e renda: 53.988 presentes / R$ 5.833.370,00

Cartões amarelos: Jefferson e Wanderson (Atlético-GO)
Cartões vermelhos:

GOLS: Patrick aos 4min do 1ºT (1-0) e aos 17min do 2ºT (2-0)

SÃO PAULO: Felipe Alves; Igor Vinícius,Diego Costa, Léo e Reinaldo; Gabriel Neves (Pablo Maia 16/1), Rodrigo Nestor (Talles Costa 34/2) e Alisson (Galoppo 34/2); Patrick (Juan 44/2), Luciano e Calleri
Técnico: Rogério Ceni

ATLÉTICO-GO: Renan; Dudu (Hayner 27/2), Wanderson, Klaus e Jefferson; Baralhas, Edson Fernando (Shaylon 41/2), Marlon Freitas e Jorginho (Léo Pereira 11/2); Wellington Rato e Churín (Ricardinho 41/2)
Técnico: Eduardo Baptista

Lance!

Nenhum comentário