Últimas do Mix

Vídeo: Funcionária alega ser impedida de ir ao banheiro e urina na calça em atacadista; assista

Foto: Reprodução

Uma funcionária, de 69 anos, que trabalha em um atacadista localizado na Tijuca, Zona Norte do Rio, alega ter sido impedida de ir ao banheiro por seus fiscais, o que contribuiu para que ela urinasse nas calças devido a falta de rendição. O Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro (SEC-RJ) acompanha o caso.
Um vídeo, gravado por uma cliente, mostra a idosa conversando com uma fiscal depois dela urinar. De acordo com a funcionária, foram diversos pedidos de rendição para que ela pudesse ir ao banheiro. Todos negados. A fiscal aparece falando que não tem culpa.
"O que aconteceu? O xixi saiu todinho. Estou desde às 9h pedindo para ir ao banheiro. Me mijei todinha, pode olhar. Filma aqui moça. Pode filmar o chão aqui para ver. A falta de consideração com o funcionário", disse a idosa na gravação.
O caso aconteceu no último dia 3, mas foi denunciado ao SEC-RJ nesta terça-feira (13). Ao DIA, Marcelo Ayer, presidente do sindicato, afirmou que está prestando apoio à funcionária e disse que não é a primeira vez que esse tipo de denúncia é realizada.
"De todas as denúncias que recebemos, essa é uma das mais graves. E existe uma prova que é o vídeo gravado. Temos outras denúncias recorrentes com esse mesmo problema. A trabalhadora chegar a urinar é porque realmente foi cerceado por muito tempo o direito de ir no banheiro e ser rendida. Temos outras denúncias recorrentes com o mesmo problema, mas os trabalhadores tem medo de denunciar por receio de sofrer represálias. Ela foi muito corajosa", ressaltou Márcio.
O presidente do SEC-RJ ainda orienta que as pessoas denunciem os casos para que o sindicato possa atuar e prestar apoio psicológico. O órgão disponibiliza forma de contato através de seu site e de um aplicativo para celulares.
Questionado sobre o assunto, o Assaí Atacadista informou que está apurando a situação para tomar as providências adicionais. A companhia ainda ressaltou que mantém um processo para a saída de funcionários dos caixas de pagamento para pausas e, qualquer desrespeito, é averiguado e imediatamente corrigido.
"Todas as lojas trabalham com uma equipe de escala, onde fiscais revezam com os(as) colaboradores(as) que desejam realizar pausas durante o expediente", diz a nota.  
*O Dia

Nenhum comentário