Últimas do Mix

Última vítima de serial killer do Amazonas foi esf4queada 73 vezes, tinha câncer e pode ter sido estupr4da

Foto: Divulgação
A Polícia divulgou nesta terça-feira (24), que Leonor Maria Nascimento da Silva, de 57 anos, assassinada com 73 facadas desferidas pelo serial killer Natan de Melo Furtado, de 33 anos, em Manaus, tinha câncer e pode ter sido estuprada pelo suspeito. 

Segundo a Polícia, a mulher fazia tratamento para a doença. Além disso, uma calcinha da vítima foi encontrada entre os objetos roubados pelo suspeito da casa de Leonor no dia em que ocorreu o crime.

“Os investigadores conseguem encontrar também, no terreno bem próximo à residência, roupas ensanguentadas, que foi a roupa que ele usou no dia do crime. Então ele matou essa senhora na própria casa dela, tomou um banho e jogou as roupas nessa sacola. Também (achamos) peça íntima dessa vítima, então estamos aguardando a perícia para saber se houve um abuso sexual”, detalhou a delegada Débora Barreiros.

Ainda conforme a Polícia, Leonor não tinha envolvimento amoroso com Natan, como as vítimas anteriores, o suspeito era apenas inquilino dela. Diante dos fatos, as autoridades policiais acreditam que o serial killer é também misógino.

“A motivação é ódio e misoginia, ódio às mulheres. Não tem motivação, não tem outra explicação porque essa mulher era de 57 anos, em tratamento contra um câncer, vulnerável. Ele podia levar o que quisesse da casa dela sem precisar desferir 73 golpes de arma branca contra ela”, destacou a delegada.

Natan foi preso em Iranduba, na Fazenda da Esperança, e estava usando um nome falso. A delegada, considerada Natan um criminoso extremamente perigoso e afirma que se ele continuasse solto, faria novas vítimas.

Nenhum comentário