Últimas do Mix

Cientistas tentam tornar humanos invisíveis ao mosquito da dengue

 

Getty imagens

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, estão tentando criar mosquitos que não enxerguem seres humanos. Por enquanto, o que sabe é que o Aedes aegypti, o mosquito responsável pela dengue, zika, chikungunya, febre amarela e várias outras doenças, é guiado pelo gás carbônico expelido na respiração.

Uma vez que ele chega na fonte do gás, o mosquito também detecta algumas qualidades da pele humana, como o calor e a umidade. Caso não encontre um local para picar, o inseto procura a cor preta, que é bastante comum em roupas.

A informação sobre a atração exercida pelas roupas pretas nos mosquitos é conhecida desde 1937 e, agora, os pesquisadores resolveram usá-la como trunfo.

Os cientistas usaram uma ferramenta de edição de genes para infectar ovos de Aedes aegypti e criar mosquitos transgênicos sem dois genes usados para detectar o preto. O experimento funcionou, e os pernilongos, apesar de ainda serem capazes de enxergar, não diferenciam mais a cor preta.

O estudo foi publicado na revista científica Current Biology. O autor principal do estudo, Yinpeng Zhan, acredita que, ao descobrir exatamente como os mosquitos encontram os humanos, é possível controlá-los de uma maneira ecologicamente correta.

Se os mosquitos fêmea, que picam humanos, não conseguirem achar a presa, não se reproduzirão e ficará mais fácil controlar as populações, principalmente em áreas de infestação.

O próximo passo da pesquisa é expor humanos ao mosquitos transgênicos para entender exatamente como a falta do preto pode influenciar o Aedes aegypti a encontrar a pele e quais são as outras ferramentas usadas pelo inseto para encontrar a presa ideal.




Fonte: Metrópoles


Nenhum comentário