Últimas do Mix

Atlético-MG vence o Athletico-PR e é bi da Copa do Brasil

Foto: Franklin de Freitas / Gazeta Press

O Atlético-MG não deu chances ao Athletico-PR. A equipe é pela segunda vez em sua história campeão da Copa do Brasil. Mais uma vez contando com Keno, autor de gols decisivos no final da temporada, e Hulk, artilheiro do time, os comandados de Cuca venceram o Furacão por 2 a 1 nesta quarta-feira e garantiram sua tríplice coroa neste ano memorável para o clube.

A equipe mineira fez pouco caso do clima hostil criado em Coritiba. A pressão já começou na chegada ao estádio, com seu ônibus sendo apedrejado por torcedores do Furacão, que, antes da bola rolar, fizeram linda festa com direto a mosaico e bandeirão. Mas nada disso bastou para evitar nova derrota.

Com o placar desta quarta-feira terminado no 2 a 1, o agregado entre ida e volta somou implacáveis 6 a 1 após a goleada por 4 a 0 no primeiro jogo, em um Mineirão, assim como a Arena da Baixada nesta noite, abarrotado.

O título coroa ainda mais a campanha do Atlético-MG em 2021. A equipe comandada por Cuca terminou vencedora do Campeonato Mineiro, do Brasileirão e agora também da Copa do Brasil.

O jogo - No início da partida, a bola rolou pouco pelo campo da Arena da Baixada. As equipes pareciam nervosas, e muitas faltas foram cometidas no meio de campo. Problema para o árbitro Anderson Daronco, que teve que controlar alguns princípios de confusão.

Esse padrão seguiu até pelo menos a metade da primeira etapa. Porém, no primeiro lance de perigo, a bola de fato entrou. Cittadini cruzou pela esquerda e Pedro Rocha tentou cabecear, mas pegou estranho na bola, em seguida, manou às redes. O árbitro de campo apontou para o meio, mas o VAR viu toque não mão de Pedro e o gol foi anulado, para a revolta da torcida, que lançou um par de tênis ao gramado.

Muito pouco depois, aos 23, o Galo emplacou um contra-ataque de almanaque. Vargas carregou pelo meio e abriu para Zaracho na direita. Com condições de bater ao gol, o meia preferiu rolar para Keno, mais uma vez muito decisivo, abrir o placar. Um balde de água fria para a torcida do Furacão.

Após o gol, a situação ficou ainda mais confortável para o Atlético, que tinha no agregado cinco gols de diferença. A equipe passou a tocar mais a bola, enquanto via um Athletico-PR sentido e agora sem seu artilheiro Renato Kayzer, que, aos prantos, deixou o campo lesionado. Durante a reta final da etapa, os visitantes ainda tiveram mais algumas chances de marcar, mas não aproveitaram.

Segundo tempo

O primeiro lance de destaque do segundo tempo foi de mais um gol do Athletico-PR anulado. Vinícius Mingotti dominou de costas para a marcação, girou para a esquerda e fuzilou no canto. Desta vez, a arbitragem de campo viu impedimento e anulou sem auxílio do VAR, que apenas confirmou a irregularidade.

Ao longo da etapa, o desenho do jogo foi de um Atlético-MG confortável e explorando contra-ataques. Enquanto isso, o Athletico-PR, que tinha dificuldades para quebrar as linhas adversárias, tentava principalmente por chutes de longe ou cruzamentos para cabeceios na grande área.

Porém, o Athletico-PR diminuiu o ritmo, melhor para o Galo. Aos 30, Savarino descolou passe belíssimo para deixar Hulk cara a cara com Santos. Frio, o camisa 7 foi implacável e só tocou por cima para correr para o abraço e comemorar o título, mais perto do que nunca.

Ainda assim, mesmo com seis atrás no agregado, houve tempo para o Athletico-PR marcar seu gol de honra. Jaderson recebeu lindo lançamento de Abner e dominou com liberdade dentro da grande área para marcar o último gol do jogo. Não teve jeito. Galo campeão.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 1 X 2 ATLÉTICO-MG

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)

Data: 15 de dezembro de 2021, quarta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Anderson Daronco (RS-Fifa)

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP-Fifa) e Rafael da Silva Alves (RS-Fifa)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartões amarelos: Kayzer, Cittadini e Abner (Athletico-PR); Vargas e Jair (Atlético-MG)

Gols:

Athletico-PR: Jaderson (41′ do 2T)

Atlético-MG: Keno (23′ do 1T) e Hulk (30′ do 2T)

ATHLETICO-PR: Santos; Marcinho (Khellven), Pedro Henrique, Zé Ivaldo e Abner; Erick, Léo Cittadini (Fernando Canesin), Christian (Jader), Pedro Rocha (Jaderson) e David Terans; Renato Kayzer (Vinícius Mingotti).

Técnico: Alberto Valentim.

ATLÉTICO-MG: Everson; Mariano, Igor Rabello, Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair (Tchê Tchê) e Zaracho (Savarino); Hulk (Eduardo Sasha), Vargas (Nacho Fernández) e Keno (Calebe).

Técnico: Cuca.

Gazeta Esportiva

Nenhum comentário