Últimas do Mix

Frentista é flagrado filmando mulher em banheiro feminino de posto de combustíveis

 

Foto: Divulgação

Um frentista de um posto de combustíveis da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, foi flagrado filmando uma mulher pelo buraco no teto do banheiro feminino. O caso aconteceu na sexta-feira (14) e foi registrado na 14ª DP (Leblon) como registro não autorizado de intimidade sexual. A vítima foi a cirurgiã-dentista Laíris Aguiar, de 25 anos, que disse estar sendo forte para expor a situação, a fim de alertar outras mulheres que podem ter passado por esta situação ou que venham a passar.

Ela conta que estava saindo da praia de Ipanema com o marido e um casal de amigos, quando o grupo decidiu parar no posto para colocar água no carro. Laíris aproveitou a parada para ir ao banheiro do estabelecimento, que fica localizado em uma parte subterrânea. "Eu pedi ao frentista que estava nos atendendo e ele disse que era só pegar a chave com um outro rapaz. Falei com o outro funcionário e ele me informou que uma senhora estava usando o banheiro e que era para eu aguardar. Assim que ela saiu eu entrei. O banheiro era estranho e eu já sou cabreira, né, já chego observando tudo. Vi que não tinha papel, então fiquei na porta esperando meu esposo aparecer para pegar o papel que eu carrego na bolsa. Nesse momento desceu um cara e perguntou se eu queria papel. Eu disse que sim, então ele entrou numa salinha e me deu papel".

Vítima fez fotos para comprovar o buraco no teto do banheiro feminino de um posto de gasolina  -  Divulgação

A cirurgiã-dentista lembra que entrou no banheiro e, depois de urinar, olhou para cima e viu que tinha um homem filmando ela com um celular preto. Ela contou ainda que não sabe se o homem que estava gravando é o mesmo que a deu o papel. "Eu comecei a gritar, aí meu esposo veio correndo e eu contei que tinha um cara no banheiro me filmando. Ele [marido] tinha passado por esse homem quando estava descendo aí ele voltou e conseguiu alcançá-lo. No início ele resistiu para desbloquear o celular", lembra ela.

Depois que o marido da vítima o pressionou, o frentista desbloqueou o aparelho e foi possível ver um vídeo de 10 segundos de Laíris no banheiro. "Eu não assisti o vídeo, mas meu marido e um amigo nosso viram e falaram que dava para ver meu pé e depois eu levantando do vaso e virando para o cara".

Após o flagrante, o frentista tentou apagar as imagens, mas o esposo da vítima segurou o telefone e conseguiu entregar para um policial civil que estava passando em uma viatura na hora do ocorrido. O criminoso confessou ao agente que havia gravado e foi encaminhado à 14ª DP. "O cara só foi fichado e liberado. Ele mentia a todo momento falando que não tinha, sendo que ele já tinha uma passagem por furto", afirma a vítima.

"Quantas mulheres já passaram por isso e nem sabem? Naquele posto eu não fui a primeira e com certeza outras mulheres já passaram por isso. Teve uma pessoa que falou que ouviu um relato parecido naquele mesmo local. Eu acho uma situação repugnante e a minha reação na hora foi gritar para todo mundo ouvir. Eu quero que ele pague pelo que fez, nem que seja de serviço comunitário e que a polícia consiga investigar o que tem no telefone dele. É um abalo psicológico sem igual", desabafa a dentista.

Procurada, a Polícia Civil informou que o autor prestou depoimento em termo circunstanciado pelo crime de registro não autorizado de intimidade sexual e o caso foi encaminhado para o Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Frentista foi demitido

Segundo a Vibra Energia, antiga BR Distribuidora, empresa de distribuição de combustíveis que pertencia à Petrobras, foi solicitado esclarecimentos e providências imediatas ao posto. O revendedor informou à Vibra que o frentista envolvido no caso já foi desligado do estabelecimento por justa causa e encaminhado para a delegacia de polícia. "A Vibra se solidariza com a vítima e vai acompanhar a condução do caso junto ao revendedor, solicitando providências para que esse tipo de situação não se repita. Além disso, a companhia reforçará em toda a sua rede revendedora os valores que prezamos enquanto empresa e cidadãos para que casos do tipo não se repitam. gostaria de esclarecer também que a Vibra não administra postos de combustíveis. Por lei, nenhuma distribuidora pode fazer essa administração, que é de responsabilidade de revendedores", concluiu.




Fonte: O Dia

Nenhum comentário