Últimas do Mix

Menino de 2 anos é parcialmente engolido por hipopótamo

 

(crédito: Tambako the Jaguar)

Um menino de dois anos foi parcialmente engolido por um hipopótamo em Uganda, país da África Oriental. De acordo com informações divulgadas pela polícia local, Yiga Paul foi socorrido por um morador que viu a cena e agiu rapidamente para ajudar o menino, que foi cuspido de volta pelo animal.

A criança mora no município de Katwe-Kabatoro, no distrito de Kasese, no sudoeste do país, em uma região próxima ao Parque Nacional Rainha Elizabeth. O parque é repleto de animais selvagens, como leões, elefantes, hienas e hipopótamos. Yiga Paul estava brincando nas redondezas quando foi pego de surpresa pelo animal, que havia se afastado do Lago Katwe, onde vive com outros cerca de seis mil hipopótamos.

O hipopótamo pegou a criança pela cabeça, ficou com parte do corpo do menino dentro da boca e estava retornando para o lago com a presa, mas moradores da região conseguiram impedir a tragédia. De acordo com o porta-voz da polícia de Kasese, Fred Enanga, o menino Paul Yiga foi resgatado por Chrispas Bagonza, que passava pelo local e percebeu que o bebê estava em apuros.

Bagonza, junto com outros nativos, fizeram alarmes enquanto atiravam pedras no animal, que se assustou e cuspiu o garoto. “Foi preciso a bravura de Chrispas Bagonza, que estava por perto, para salvar a vítima ao ter apedrejado e assustado o hipopótamo, o que fez com que este soltasse a vítima", contou a polícia local.

O menino foi então levado às pressas para o hospital de Bwera, onde foi vacinado contra raiva e recebeu outros tratamentos. Mais tarde, no mesmo dia, ele recuperou a consciência e recebeu alta.

Estima-se que cerca de 500 pessoas morrem, por ano, na África, vítimas de ataques de hipopótamos, de acordo com dados da BBC. Apesar de parecerem lentos, esses animais pesam cerca de 2,5 toneladas e podem atingir uma velocidade média de 48km/h, o que os torna violentos quando o assunto é defesa do território.

Na África, os hipopótamos matam mais pessoas que leões, elefantes, leopardos, búfalos e rinocerontes juntos. Ele é considerado o animal mais mortífero do continente africano. Por isso, após o incidente envolvendo Yiga Paul, a criança de dois anos, o porta-voz da polícia de Kasese, alertou pais que ficam perto de santuários de animais, como lagos e centros de vida selvagem, para cuidar de animais vadios, como crocodilos e hipopótamos, que podem atacar tanto crianças, quanto jovens e adultos.

Mesmo com as mortes, vale lembrar que, diferente de leões e outros animais carnívoros, o hipopótamo não come carne, é um herbívoro. 


Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário