Últimas do Mix

Jovem morre ao usar colher errada para mexer chá quatro dias após aceitar pedido de casamento

 

Reprodução/ Facebook

Quando Craig McKinnon pediu Jess Prinsloo em casamento, foi o dia mais feliz da vida do britânico. No entanto, apenas quatro dias depois, durante um período de férias na África do Sul, a noiva estava morta.

A executiva de marketing de 24 anos, que tinha uma alergia aguda a lacticínios, sofreu uma reação fatal após usar a colher errada para mexer um chá. Ele voltou ao Reino Unido com as cinzas de Jess na última segunda-feira (21). 

O casal estava há uma semana viajando quando, em 27 de dezembro, Craig pediu a amada em casamento no mirante God's Window em Mpumalanga.

“Muitos de sua família moram na África do Sul e ela não visitava [o país] há seis anos, então eu sabia que não havia lugar melhor para propor", afirmou McKinnon. “Minha voz falhou quando me ajoelhei e perguntei: 'Quer se casar comigo?' Ela disse: 'Oh meu Deus' e começou a chorar antes de dizer que sim".

O casal comemorou nos dias seguintes com champanhe e “muitas risadas” antes de ir para a casa da mãe de Jess, em Joanesburgo, no dia 30 de dezembro.

Nesta mesma data, Jess teve contato com laticínios e, em segundos, entrou em anafilaxia – uma reação potencialmente fatal que causa o fechamento da garganta –, morrendo no hospital no dia seguinte, na véspera do Ano-Novo.

A jovem sempre carregava duas injeções de epinefrina, medicamento indicado para o tratamento de urgência de reações alérgicas graves. Mas, nessa ocasião, elas não funcionaram.

“Quando Jess morreu, uma parte de mim também morreu – mas não há ninguém para culpar por ela falecer", afirmou McKinnon.

O jovem acredita que anos de reações como esta tiveram um efeito cumulativo em Jess, que era alérgica a laticínios desde os nove meses de idade. 

Após a morte da executiva, McKinnon ainda enfrentou contas médicas de 3.700 libras (cerca de R$ 23,8 mil) mais 1.200 libras (R$ 7.716,58) em honorários do legista. Por causa disso, a mãe dele e o irmão de Jess iniciaram um financiamento coletivo para pagar as contas e o funeral da jovem. 

Além de querer fazer outra homenagem para a amada no Reino Unido, McKinnon também quer educar as pessoas sobre alergias. “É algo que as pessoas não podem controlar e pode matá-las. Só quero que as pessoas ouçam e entendam como isso é sério", finalizou. 

Fonte: R7

Nenhum comentário