Últimas do Mix

Pistoleiro suspeito de matar sargento Lucas é preso dez dias após família oferecer recompensa; assista

Foto: divulgação

Silas Ferreira da Silva, de 26 anos, foi preso por policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na noite desta segunda-feira (22), no bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona leste de Manaus. O homem é suspeito de ter atirado contra o sargento Lucas Ramon Silva Guimarães no dia 1º de setembro desse ano.

Silas teria sido contratado pelo empresário Joabson Gomes e sua esposa Jordana Freire, donos da rede de supermercado Vitória, ambos suspeitos de ordenar a morte do sargento.

Com o homem a polícia apreendeu uma motocicleta, porém segundo investigadores, a moto apreendida não foi a mesma usada no crime.

Foto: divulgação

O Homem já foi detido em 2018 pela polícia por cometer assaltos a estabelecimentos usando armas falsas, e responde por 9 processos criminais.

A prisão acontece dez dias após a família da vítima decidir anunciar o pagamento de uma recompensa no valor de R$ 40 mil para quem conseguisse localizar o atirador.

No último dia 10 deste mês, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu, o pedido de liberdade aos donos da rede de supermercados Vitória, Joabson Agostinho Gomes e Jordana Freire.

A expectativa a partir de agora é que com a prisão de Silas, o suspeito revele quem foi mandante do crime e a motivação.

Assista o momento da prisão:


Entenda o caso

Jordana seria supostamente amante do sargento, com quem mantinha relações comerciais e ao descobrir a traição da esposa, Joabson teria contratado um pistoleiro para executar Lucas.

O casal se apresentou na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), após ser dado como procurado pela Polícia Civil (PC-AM).

Na época, um dos advogados, identificado como Rafael Grosso Filho, afirmou: “Não podemos nem estar comentando, não temos muitas informações, acreditamos na inocência dos nossos clientes, acreditamos que houve um mal entendido que será esclarecido no momento oportuno”.

Nenhum comentário